Alta comissária da ONU pede “providências sérias” para deter mortes de afro-americanos desarmados
BR

28 maio 2020

Michelle Bachelet fez apelo após a divulgação de um vídeo no qual um homem negro é morto sob custódia policial na cidade em Minneapolis, nos Estados Unidos; num vídeo, George Floyd aparece deitado com o rosto no chão e contido pelo pescoço por policiais; na gravação, ele diz: "eu não consigo respirar".

A alta comissária de Direitos Humanos das Nações Unidas pediu "ações sérias" para acabar com as mortes de afro-americanos desarmados nos Estados Unidos.

Em comunicado, nesta sexta-feira, Michelle Bachelet condenou o homicídio de George Floyd, que morreu numa abordagem policial, na segunda-feira, em Minneapolis. A morte, registrada em vídeo, está causando uma onda de protestos na cidade.

Escritório de Direitos Humanos, em Genebra. Foto: ONU/ Jean-Marc Ferré

Longa lista

Bachelet afirmou que este caso é o mais recente numa longa lista de mortes de afro-americanos desarmados, pela polícia e por outras pessoas nos Estados Unidos. Ela contou que o nome de Floyd junta-se ao de Breonna Taylor, Eric Garner, Michael Brown e tantos outros como Ahmaud Arbery and Trayvon Martin, mortos por cidadãos armados.

A alta comissária disse que as autoridades americanas têm que tomar providências sérias para acabar com esses homicídios e assegurar que a justiça será feita.

Para ela, os procedimentos devem mudar assim como os sistemas de prevenção. E acima de tudo, policiais que lançam mão do uso excessivo da força, devem ser indiciados e condenados pelos crimes cometidos.

Investigação

Bachelet elogiou o anúncio de que autoridades federais americanas irão priorizar a investigação. Mas segundo ela, em muitos casos no passado, os inquéritos terminaram com absolvições com base em premissas questionáveis ou reprimendas administrativas.

A alta comissária diz que o papel que a discriminação racial desempenha nessas mortes tem que ser inteiramente examinado, e encarado, para que possa receber um tratamento justo.

Ela afirmou compreender a ira da população, causada pela morte de George Floyd, mas pediu que os protestos sejam realizados de forma pacífica.

Segundo Michelle Bachelet, a violência e a destruição de propriedade não resolverão o problema da brutalidade policial e da discriminação.

Ela pediu aos manifestantes que busquem a justiça pacificamente, e à polícia que tome as devidas precauções para evitar inflamar ainda mais a situação lançando mão do uso excessivo da força.

 

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud