OMS nas Américas pede a países que analisem tendências antes de relaxar medidas contra pandemia
BR

6 maio 2020

Diretora-geral da Organização Pan-Americana da Saúde alertou sobre possibilidade de crise humanitária no Haiti por causa da covid-19; Brasil é o segundo país com mais casos na região após Estados Unidos. 

Antes de reduzir medidas de distanciamento social contra a covid-19, os países das Américas devem analisar as tendências específicas de seus próprios contextos e realidades.

O conselho é da diretora-geral da Organização Pan-Americana da Saúde, Opas. Carissa Etienne. 

Uma funcionária do Unicef conversa com mulheres em um centro de saúde localizado nos arredores de Caracas, Venezuela.
Uma funcionária do Unicef conversa com mulheres em um centro de saúde localizado nos arredores de Caracas, Venezuela. Foto: © UNICEF/Eduardo Párraga

Aumento

Durante entrevista a jornalistas, na terça-feira, ela alertou que reduzir as medidas de distanciamento social muito cedo pode levar a um aumento no número de casos e acelerar a disseminação do vírus. 

A médica expressou preocupação com o caso do Haiti, que corre risco de um surto em grande escala que pode levar a uma crise humanitária. A chefe da Opas contou que 17 mil haitianos voltaram da República Dominicana, o país vizinho, que está com altos níveis de contaminação. 

Uma outra preocupação é com a falta de acesso dos Haiti anos a água e saneamento. 

Estados Unidos e Brasil

Desde a primeira notificação de covid-19, nas Américas, há mais de três meses, o vírus já se espalhou para todos os países da região. Até este 4 de maio, havia mais de 1,4 milhão de casos e mais de 86 mil mortes.

Ela afirmou que em alguns países, o número de novos casos dobra em poucos dias como Estados Unidos, Canadá, Brasil, Equador, Peru, Chile e México. 

O Brasil é o segundo país com maior número de casos atrás dos Estados Unidos. 

Para Carissa Etienne a situação revela que os governos devem implementar uma série de medidas como testagem, rastreamento de contatos e o distanciamento social. 

Equipamentos médicos fornecidos pelo Programa Mundial de Alimentos são enviados de um armazém da ONU no Panamá para os países da região.
PMA
Equipamentos médicos fornecidos pelo Programa Mundial de Alimentos são enviados de um armazém da ONU no Panamá para os países da região.

América Central

A chefe da Opas disse que a agência está preocupada com relatos de pequenas cidades na América do Sul sem capacidade hospitalar, e afirmou que a América Central precisa ampliar a testagem. 

No caso do Caribe, ela elogiou medidas tomadas por alguns países de combate à pandemia que estão dando certo. 

A chefe da Opas disse que qualquer decisão deve ser baseada em dados sobre novos casos, número de mortes e a capacidade de leitos em hospitais.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud