Covid-19: ONU reúne líderes mundiais e setor privado em iniciativa para acelerar tratamentos e vacinas
BR

24 abril 2020

Chefes de Estado e de governo de uma dezena de países, incluindo Alemanha e Franca, participaram no lançamento; Fundação Bill e Melinda Gates, Aliança Global de Vacinação Gavi e Cruz e Crescente Vermelho também são parceiros; partilha de informação e recursos deve acelerar combate à pandemia

A Organização Mundial da Saúde, OMS, em parceria com líderes mundiais, setor privado e sociedade civil, lançaram uma parceria global para acelerar o desenvolvimento, produção e acesso a novos métodos de diagnóstico, tratamento e vacinas contra a covid-19.

O lançamento foi anunciado esta sexta-feira pelo diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyeus, o presidente da França, Emmanuel Macron, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e a presidente da Fundação Bill e Melinda Gates, Melinda Gates.

Objetivos 

Falando por videoconferência, Tedros Ghebreyeus afirmou que “o mundo precisa dessas ferramentas e precisa delas rapidamente.”

O chefe da OMS disse que experiências passadas mostraram que, “mesmo quando as ferramentas estão disponíveis, não estão disponíveis para todos.” Para ele, o mundo não pode “permitir que isso aconteça."
Tedros disse que o novo acelerador “reúne o poder de várias organizações para trabalhar com velocidade, escala e de formas diferentes para identificar desafios e soluções."

Esforço

Já o secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou que acabar com a pandemia “exige o esforço de saúde pública mais maciço da história do mundo.” Segundo ele, “em um mundo interconectado, ninguém está seguro até que todos estejam seguros.”

Para o chefe da ONU, o mundo precisa de soluções acessíveis, seguras, eficazes, facilmente administráveis e disponíveis de forma universal. Os dados devem ser compartilhados, a capacidade de produção preparada, os recursos mobilizados e as comunidades envolvidas.

Guterres afirmou ainda que os todos os novos recursos que sejam desenvolvidos devem ser considerados “um bem público global essencial.”

Segundo ele, por muito tempo, o mundo teve falta de investimento em bens públicos globais, como ambiente limpo, segurança cibernética e paz. Agora, a pandemia “deixa uma lição essencial, a urgência de apoio a bens públicos globais e cobertura universal de saúde.”

Participantes

Participaram ainda no lançamento chefes de Estado e de governo da África do Sul, Costa Rica, Itália, Ruanda, Alemanha, Arábia Saudita, Noruega, Espanha, Reino Unido e os líderes da União Africana e G-20. 

Falaram também representantes de parceiros como a Aliança Global de Vacinação Gavi, o Fundo Global Contra HIV, Tuberculose e Malária, Banco Mundial, Cruz e Crescente Vermelho e várias associações cientificas e industriais, como a Federação Internacional de Farmacêuticos e a Associação Internacional de Medicamentos Genéricos. 

Desde janeiro, a OMS trabalha com milhares de pesquisadores em todo o mundo para acelerar e acompanhar o desenvolvimento de vacinas. Também desenvolveu diagnósticos que estão sendo usados em muitos países e está coordenando um estudo global sobre a segurança e eficácia de quatro tratamentos diferentes. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Covid-19: OMS diz que existe “longo caminho a percorrer” e complacência é o maior perigo

Chefe da agência avisou que covid-19 “continua sendo extremamente perigosa” e maioria dos países ainda está nos estágios iniciais de suas epidemias; já foram confirmados quase 2,5 milhões de casos em todo o mundo e mais de 160 mil mortes.