OMS diz que casos de covid-19 podem subir, mas estão “sob controle” em Moçambique
BR

22 abril 2020

Representante da agência no país diz que parceiros apoiam combate à pandemia; compra de equipamento e consumíveis deve rondar US$ 30 milhões; Para Djamila Cabral, atraso da chegada da doença ajudou processo de preparação.*

Cerca de quatro semanas depois do surgimento do primeiro caso da covid-19 em Moçambique, o país apresenta 41 casos positivos, sem mortes pela doença.

Para a representante da Organização Mundial da Saúde, OMS, em Moçambique houve uma evolução tardia do número de casos confirmados em relação a outras partes do mundo que teve influência na forma como é gerida a crise. Djamila Cabral falou antes da mais recente atualização de casos apresentada esta quarta-feira em Maputo.

Condições

Imagem microscópica digitalmente aprimorada mostra uma infecção por coronavírus em azul., by Foto: CDC/Hannah A Bullock/Azaibi Tami

“As pessoas têm a sensação de que se calhar não temos muitos casos, mas a verdade é que nós fazemos parte dos países que tiveram a chance de ter um tempo para se preparar e que aproveitaram esse tempo da melhor maneira possível para nos preparamos. Provavelmente o número de casos vai aumentar, mas nos tivemos um mês, dois meses que permitiu para criarmos condições para responder e se tivermos mais dois, três, quatro meses, melhor estaremos.”

Djamila Cabral citou exemplos de como foi importante o tempo que permitiu uma preparação das autoridades e da agência para lidar com o surgimento de casos.

“Em janeiro não tínhamos nenhum médico, enfermeiro formado em como cuidar paciente com covid-19. Hoje, todos eles que estão nas estruturas de saúde já receberam formação. As pessoas não lavavam as mãos 10 vezes por dia, agora já lavam, não faziam reuniões virtuais. É isso a preparação. Quanto mais tempo, mas protegidos estaremos, porque estaremos mais habituados a lavar as mãos, usar as máscaras caso necessário, viver em confinamento e fazer o distanciamento social.”

Face ao combate à pandemia, a representante da agência elogiou a colaboração dos parceiros. Djamila Cabral disse que o desafio é encontrar equipamentos e consumíveis no mercado, diante da procura que provoca a escassez global.

Terreno

“Estamos a trabalhar com eles para operacionalizar no sentido de saber o que vai se fazer? Aonde? Porquê? Em quantas pessoas e quanto vai custar nas províncias, mas também em cada uma das grandes áreas. O plano para compra de material e equipamento já está pronto e avaliado em volta de US$ 30 milhões. Mas também tem o plano operacional para avaliar como as coisas vão se passar no terreno.”

Em Moçambique até esta terça-feira foram testados 1.247 casos suspeitos. Dos 41 casos positivos, 33 são de transmissão local e oito importados.

Devido à ocorrência de casos de transmissão local da covid-19, o Ministério da Saúde no país, lançou um alerta as populações sobre a violência baseada no género. As autoridades afirmam que em momento de isolamento social “as pessoas devem ficar isoladas, mas não sozinhas.”

*De Maputo para ONU News, Ouri Pota.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud