Concerto com Lady Gaga e artistas arrecadou US$ 127 milhões para combater coronavírus
BR

20 abril 2020

Organização Mundial da Saúde anunciou que fundos irão para entidades que enfrentam pandemia; chefes de 15 agências da ONU pedem US$ 350 milhões para sistema de logística global contra doença.

O megaconcerto virtual de parceria entre a cantora Lady Gaga e a Organização Mundial da Saúde, OMS, arrecadou mais de US$ 127 milhões para combater o novo coronavírus no mundo. A informação foi dada pelo diretor-geral da agência da ONU.

Tedros Ghebreyesus destacou que a verba irá para várias organizações incluindo US$ 55 milhões para o Fundo de Resposta de Solidariedade da OMS.

Transmissão

O chefe da OMS agradeceu à cantora, à instituição Global Citizen bem como os músicos, comediantes e funcionários humanitários pela iniciativa.

Diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, OMS, Tedros Ghebreyesus. , by ONU/ Elma Okic

A transmissão do concerto One World, #TogetherAtHome ocorreu em plataformas digitais e redes de TV. Tedros destacou que o Fundo de Resposta de Solidariedade da OMS já desembolsou mais de US$ 194 milhões doados por mais de 270 mil pessoas, corporações e fundações.

Esforço

Ele frisou que em relação à pandemia, “o alívio das restrições não é o fim” em nenhum país. E sublinhou que essa situação “exigirá um esforço contínuo de indivíduos, comunidades e governos para continuar suprimindo e controlando o vírus”.

Em nível global, a agência notificou 2.314.621 de casos e 157.847 mortes até esta segunda-feira.

Tedros afirmou que os chamados bloqueios podem ajudar a aliviar a epidemia em um país, mas por sí só não podem acabar com a situação. O apelo às nações é que “garantam que possam detetar, testar, isolar e cuidar de todos os casos, além de rastrear todos os contactos”.

Nesta segunda-feira, 15 chefes de agências da ONU escreveram uma carta ao jornal britânico The Guardian, destacando o risco de alastramento do coronavírus em países mais vulneráveis do mundo.

Controle

A mensagem sugere que até o momento os doadores internacionais prometeram cerca de um quarto dos US$ 2 bilhões que a ONU pediu em março, para aplicar na resposta de emergência à covid-19.

 

Para os chefes de agência, a ajuda aos países mais frágeis “é do interesse de todos para impedir que o vírus se espalhe sem controle, destruindo vidas, economias e continue a circular”.

De forma especial, cerca de US$ 350 milhões devem ser destinados ao estabelecimento de um sistema de logística global. Este mecanismo deverrá apoiar pontes aéreas e de carga para o movimento de pessoas e equipamentos importantes devido ao encerramento do tráfego aéreo e às restrições de movimento.

Agências

Antes, a OMS anunciou que para proteger as pessoas da covid-19, tem atuado com diferentes agências da ONU em várias frentes de combate à pandemia.

Uma parceria com a União Internacional Telecomunicações, UIT, e o Fundo das Nação Unidas para a Infância, Unicef, a agência permitirá que empresas de telecomunicações enviem mensagens para bilhões de pessoas sem acesso à internet em seus telefones celulares.

Com a Organização Mundial do Comércio, OMS, a OMS quer garantir um fluxo transfronteiriço normal de suprimentos médicos essenciais e outros bens e serviços. A ideia é promover essas ações e ajudar a resolver questões como interrupções nas cadeias de suprimentos globais.

O Regulamento Sanitário Internacional da agência especializada na saúde prevê prevenir, proteger, controlar e fornecer uma resposta pública à propagação internacional de doenças de maneira proporcional aos riscos à saúde pública.

Opas Barbados/Brenda Lashley
Regras sobre vacinas serão anunciadas até a primeira semana de julho.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud