Timor-Leste entre países que vão adotar plataforma de ensino ajustada à covid-19
BR

20 abril 2020

Iniciativa oferece livros on-line, vídeos e assistência a pais de alunos com desafios para aprendizagem; parceria entre Unicef e Microsoft revela que pandemia deixou quase 1,6 bilhão de alunos fora da escola.

Timor-Leste é um dos países onde uma nova plataforma global de aprendizagem vai ajudar durante a crise de educação provocada pela covid-19: Ucrânia também participa de fase inicial Learning Passport ou Passaporte de Aprendizagem.

A parceria do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, e a Microsoft quer ajudar a lidar com a crise que já forçou mais de 190 países a suspender as aulas deixando 1,57 bilhão de alunos sem estudar.

Plataforma

Com a nova iniciativa, os países terão livros on-line, vídeos e mais apoio para pais de crianças com dificuldades de aprender quando são adotadas medidas globais para interromper a transmissão do vírus.

 

No início, a plataforma digital de aprendizado a distância envolveu vários departamentos da Universidade de Cambridge. O projeto de cooperação promovia a educação de crianças deslocadas e refugiadas.

Depois, a ideia passou a adotar currículos para crianças e jovens de países onde as escolas foram fechadas devido à covid-19. A plataforma também fornecerá recursos essenciais para educadores.

Para a diretora executiva do Unicef, Henrietta Fore, vários efeitos da pandemia incluindo o fechamento das escolas, o isolamento e um sentimento persistente de medo e ansiedade estão afetando crianças em todo o mundo.

A representante defende que se explore e se mantenham todas as vias para aprender e ajudá-las nesse momento. Ela disse que estas adaptações lembram que é possível fazer muito para as crianças à medida que a crise se aprofunda em nível global.

Programa-piloto

Fora necessários 18 meses para cumprir as etapas desta iniciativa que, em pricípio, seria lançada como um programa-piloto. Com o início da pandemia, houve uma rápida expansão do alcance com o fechamento de escolas.

A iniciativa permite que “agora, todos os países com um currículo de ensino que possa ser implementado online facilitem o aprendizado para crianças e jovens com dispositivos eletrónicos em casa”.

O presidente da Microsoft, Brad Smith, disse que não deve haver fronteiras para as soluções aos efeitos da covid-19, pois “exigem a colaboração entre os setores públicos e privado para garantir que cada aluno continue engajado e aprendendo”.

Para Smith, o Passaporte de Aprendizado é uma uma solução para “preencher a lacuna de ensino digital para milhões de estudantes para que se levem as sala de aula para a casa durante a pandemia”.

O acesso à página pode ser feito pelo link learningpassport.unicef.org a partir do país e da plataforma fornecida em nível local. Os materisis incluem um currículo digitalizado com livros didáticos e uma seleção de conteúdo suplementar, em idiomas nacionais.

Desafios

A plataforma desenhada para alunos e educadores do país, tem como base matérias curriculares dos estudantes e orienta os usuários com o mínimo de suporte adicional.

O Unicef destaca que o Passaporte de Aprendizagem promove o uso da tecnologia para que alunos, facilitadores e provedores de educação enfrentem seus desafios. A prioridade é dada a contextos humanitários e afetados por conflitos.

A plataforma é parte da iniciativa global Geração Ilimitada,  uma parceria que envolve vários setores para aumentar as oportunidades de educação, capacitação e emprego para jovens.

ONU/Martine Perret
Mães com as suas crianças na vila de Asulau, em Timor-Leste.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud