Pandemia ameaça campanha para vacinar 117 milhões de crianças contra sarampo
BR

14 abril 2020

Alerta é do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, e da Organização Mundial da Saúde, OMS, e agências parceiras. 

Mais de 117 milhões de crianças no mundo correm o risco de perder a vacinação contra o sarampo por causa do isolamento social para enfrentar uma outra doença: a covid-19. 

Em comunicado, duas agências da ONU, Unicef e OMS, informaram que a campanha de imunização contra o sarampo já está atrasada em 24 países. 
Outros 13 devem cancelar a vacinação por causa das medidas de enfrentamento ao covid-19. 

Em comunicado, duas agências da ONU, Unicef e OMS, informaram que a campanha de imunização contra o sarampo já está atrasada em 24 países. 
Em comunicado, duas agências da ONU, Unicef e OMS, informaram que a campanha de imunização contra o sarampo já está atrasada em 24 países. Foto Unicef/ UN0201055/Krepkih

Parceiros

As agências juntaram-se a outros parceiros no alerta incluindo a Iniciativa contra Sarampo e Rubéola, M&RI, que também tem o apoio da Cruz Vermelha americana, do Centro para Controle de Doenças e Proteção e da Fundação ONU. 

A OMS conta com novas diretrizes para ajudar os países a realizarem a vacinação durante a pandemia. A agência também alerta para o perigo de atraso nas campanha por causa do risco de transmissão com o novo coronavírus. 

No comunicado, as agências pedem a líderes internacionais que intensifiquem seus esforços para localizar as crianças que precisam ser vacinadas.

Até este mês, as agências da ONU registraram 21 grandes surtos de sarampo no mundo
©Unicef/Allan Stephen
Até este mês, as agências da ONU registraram 21 grandes surtos de sarampo no mundo

Pressão 

Para as agências, apesar da enorme pressão sobre agentes de saúde impostas pela pandemia, é importante garantir a imunização e evitar que vidas se percam. 

Apesar de a vacina contra o sarampo existir há mais de 50 anos, em 2018 um aumento nos casos da doença matou mais de 140 mil pessoas. A maioria crianças e bebês. 

Crianças menores de um ano têm mais chance de morrer de complicações associadas ao sarampo. E sem a vacinação, elas ficam expostas ao perigo diariamente. 

Comunicado também chama a atenção para o heroísmo dos profissionais de saúde e os que atuam na área de emergência assim como a necessidade de mais investimentos nessas áreas. 
Unicef/Jim Holmes
Comunicado também chama a atenção para o heroísmo dos profissionais de saúde e os que atuam na área de emergência assim como a necessidade de mais investimentos nessas áreas. 

Profissionais de saúde 

O comunicado também chama a atenção para o heroísmo dos profissionais de saúde e os que atuam na área de emergência assim como a necessidade de mais investimentos nessas áreas. 

As agências também ressaltaram o papel dos pais e dos cuidadores na vacinação das crianças.

O comunicado apela aos países e a líderes locais que implementem estratégias efetivas de comunicação para que a campanha de vacinação permaneça forte e que cada criança tenha direito a uma vida saudável principalmente em tempos difíceis como agora.  

A M&RI, fundada em 2001, já ajudou a vacinar 2,9 bilhões de crianças. Outras 21 milhões de vidas foram salvas pelo aumento da imunização em todo o mundo. 
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud