Perspectiva Global Reportagens Humanas

Covid-19: uso de máscaras é tema de nova publicação da OMS BR

Mulheres estão sendo afetadas mais durante pela crise global gerada com a pandemia.
ONU/Evan Schneider
Mulheres estão sendo afetadas mais durante pela crise global gerada com a pandemia.

Covid-19: uso de máscaras é tema de nova publicação da OMS

Saúde

Instruções da agência visam pessoas sintomáticas, população em geral e autoridades nacionais;  agência alerta que ainda não houve uma avaliação sobre uso de máscaras de materiais como tecido de algodão.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, emitiu novas diretrizes sobre a utilização de máscaras em público para apoiar os países que decidiram implementar o uso desse equipamento de forma mais generalizada.

As orientações publicadas em Genebra reforçam que o uso destes equipamentos “é uma das medidas de prevenção que pode limitar a propagação de certas doenças virais respiratórias, incluindo a covid-19”. 

A OMS aponta profissionais de saúde como grupo prioritário.
A OMS reforça ainda que é fundamental dar prioridade aos profissionais de saúde quando se trata de usar máscaras e respiradores. Foto: Giles Clarke

Medidas  

As orientações destacam, no entanto, que “o uso da máscara por si só é insuficiente para oferecer um nível adequado de proteção”, e que para isso também devem ser adotadas outras medidas.

O documento ressalta que independentemente de serem usadas máscaras, é essencial observar ao máximo outras medidas como a higiene das mãos, para impedir a transmissão do novo coronavírus.

Em áreas onde houve relatos de casos da doença, a agência aconselha o uso de máscaras em meio a grupos, durante o atendimento domiciliar e em serviços de saúde. Estes equipamentos devem ser utilizados por membros da comunidade, profissionais ligados à prevenção ou controle da infecção, assim como gestores, funcionários e agentes de saúde.

A OMS reforça ainda que é fundamental dar prioridade aos profissionais de saúde quando se trata de usar máscaras e respiradores. 

Nações Unidas entregando mais de 250 mil máscaras de proteção ao prefeito de Nova Iorque.
ONU/Eskinder Debebe
Nações Unidas entregando mais de 250 mil máscaras de proteção ao prefeito de Nova Iorque.

Pessoas sintomáticas

A agência destaca que ainda não foi suficientemente avaliado o uso de máscaras feitas de outros materiais como tecido de algodão, também conhecidas como máscaras faciais não médicas, na comunidade.

A recomendação para as pessoas sintomáticas é que usem uma máscara facial, se isolem e procurem orientação médica desde que comecem sinais como febre, fadiga, tosse, dor de garganta e dificuldade em respirar. 

De acordo com a OMS, os sintomas iniciais de algumas pessoas infectadas com a covid-19 podem ser muito leves. Por isso é necessário seguir as instruções sobre como vestir, tirar e descartar máscaras. 

Entre as medidas adicionais para pessoas sintomáticas estão lavar as mãos e manter uma distância física de outras pessoas.

Passageiros com máscaras e ponchos descartáveis no Aeroporto Internacional Don Mueang, em Bangcoc, Tailândia.
ONU News/Jing Zhang
Passageiros com máscaras e ponchos descartáveis no Aeroporto Internacional Don Mueang, em Bangcoc, Tailândia.

Distanciamento 

Para todas as pessoas da comunidade, a recomendação é evitar aglomerados, espaços fechados e lotados, além de manter uma distância física de pelo menos um metro de outras pessoas, em particular dos que apresentam sintomas respiratórios.

Fazer a higiene das mãos com frequência é recomendado juntamente com a utilização de desinfetante à base de álcool, se as mãos não estiverem visivelmente sujas, ou com água e sabão.

Também se recomenda a cobertura do nariz e da boca com um cotovelo dobrado ou lenço de papel ao tossir ou espirrar, e o descarte imediato após o uso e a higiene das mãos.

No metrô de Nova York, pessoas estão usando máscaras faciais como precaução contra o coronavírus.
ONU/Loey Felipe
No metrô de Nova York, pessoas estão usando máscaras faciais como precaução contra o coronavírus.

Autoridades 

Para as autoridades, a OMS recomenda que ao liberar o uso de máscaras em público seja considerada a finalidade, o risco de exposição ao vírus da covid-19, o cenário em que a população vive, a viabilidade, os custos, a tolerância e o tipo de máscara.

Em qualquer abordagem a ser adotada, é importante desenvolver uma forte estratégia de comunicação para explicar à população as circunstâncias, os critérios e as razões para se tomar as decisões.

A agência reforça que ainda não há evidências para fazer uma recomendação a favor ou contra o uso de máscaras pelo público. A OMS disse que colabora com parceiros de pesquisa e desenvolvimento para entender melhor a eficácia e eficiência das máscaras faciais não médicas.

Para os países que recomendam o uso de máscaras em pessoas saudáveis, a agência incentiva que se realizem investigações sobre esse tópico e que atualizem suas orientações em caso de novas evidências.

A OMS destaca que de acordo com os dados disponíveis, os dois principais veículos de transmissão do vírus da covid-19 são gotículas respiratórias e contato com uma pessoa infectada pelo vírus.