Guterres renova pedido de cessar-fogo global alertando que “o pior ainda está por vir”  
BR

3 abril 2020

Covid-19 levou ao apelo de pausa nos combates feito há 10 dias; secretário-geral disse que pedido foi bem recebido em todo o mundo, mas palavras ainda não se traduziram em resultados; para António Guterres, “há uma chance de paz, mas está longe e a necessidade é urgente”.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, fez esta sexta-feira um balanço dos resultados do pedido de cessar-fogo global feito há 10 dias. O chefe da ONU apelou ao mundo que se concentre no combate à pandemia de covid-19.

Guterres informou que “um número substancial de partes em conflito expressou aceitação”, mas disse que “existe uma enorme distância entre declarações e ações, entre traduzir palavras para paz no terreno e na vida das pessoas.”

Resultados

António Guterres disse que o apelo “está ressoando em todo o mundo” e já foi endossado por cerca de 70 Estados-membros, além de parceiros regionais, atores não estatais, redes e organizações da sociedade civil e todos os Mensageiros da Paz da ONU.

Líderes religiosos, incluindo o papa Francisco, também mostraram apoio, bem como os cidadãos de todo o mundo. Uma carta de apoio online, na rede Avaaz já foi assinada por mais de um milhão de pessoas.

Apesar desse apoio, o secretário-geral destacou “enormes dificuldades de implementação”. Segundo ele, “quaisquer ganhos iniciais são frágeis e facilmente reversíveis.”

Em todos os conflitos, os representantes e enviados especiais do secretário-geral   e os coordenadores residentes estão se envolvendo para ajudar a negociar uma pausa nos combates.  

Exemplos

O relatório inclui detalhes sobre a situação em países como Camarões, República Centro-Africana, Colômbia, Mianmar, Filipinas, Sudão do Sul, Sudão e Ucrânia. Na declaração, o secretário-geral destacou a situação no Iêmen, na Líbia, na Síria e no Afeganistão. 

No Iêmen, o conflito piorou. Nesse momento, o enviado especial está preparando uma discussão entre todas as partes. 

Na Síria, onde já aconteceram as primeiras mortes causadas pelo coronavírus, continua em vigor a trégua em Idlib, negociada pela Turquia e pela Rússia. Mas o secretário-geral diz que “é essencial um cessar-fogo permanente em todo o país para permitir uma expansão no acesso humanitário.”

Na Líbia, Guterres disse que o apelo de cessar-fogo foi recebido com satisfação, mas os conflitos aumentaram drasticamente em todas as linhas de frente. Por fim, no Afeganistão, foi anunciado um grupo de 21 membros, que inclui cinco mulheres, para negociações diretas com o Talibã.

Veja a mensagem do secretário-geral, em inglês:

Esforço

Em todas estas circunstâncias extremamente difíceis, António Guterres pediu que “os países com influência façam todo o possível para que o cessar-fogo se torne realidade.”

O secretário-geral disse “há uma chance de paz, mas está longe e a necessidade é urgente.” Segundo ele, “a tempestade covid-19 está chegando a todos esses teatros de conflito.”

O chefe da ONU lembrou que o vírus mostrou que pode atravessar fronteiras, arrasar países e destruir vidas com rapidez, mas avisou que “o pior está por vir.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Guterres: "Todos na luta contra uma pandemia sem precedentes"

Leia a íntegra do artigo de opinião* onde o secretário-geral da ONU sugere ações para evitar os impactos da pandemia de covid-19 na saúde, na sociedade e na economia global. António Guterres também orienta as nações na reação e na recuperação desta crise que o mundo enfrenta.