Covid-19: ONU pede cessar-fogo na Síria e soltura de presos por razão humanitária 
BR

24 março 2020

Enviado especial ao país emitiu declaração com medidas adicionais sobre situação de pessoas sequestradas, refugiadas e deslocadas; país é considerado extremamente vulnerável por faltarem equipamentos médicos, profissionais e instalações de saúde.   

Horas depois da confirmação do primeiro caso do novo coronavírus na Síria, o enviado especial das Nações Unidas ao país declarou que o cessar-fogo é agora mais necessário que nunca. 

Em declaração, Geir Pedersen citou o primeiro caso do novo coronavírus na Síria. A paciente é uma mulher de 20 anos que retornou ao país.  Segundo agências de notícias, o governo sírio confirmou o caso e disse que já tomou providências.  

Crise  

Para o enviado da ONU, o cessar-fogo deve ser respeitado por todos. Ele disse que que há medidas implementadas em áreas controladas pelo governo para enfrentar a pandemia. 

Petersen afirmou que “por motivos humanitários, os presos devem ser libertados em larga escala assim como pessoas sequestradas”. Outra medida é permitir o acesso imediato das organizações humanitárias a todos os centros de detenção e garantia urgente de cuidados médicos e medidas de proteção. 

Enviado especial do secretário-geral das Nações Unidas para a Síria, Geir Pedersen., by Foto ONU/Evan Schneider

Ele destacou que doadores internacionais precisarão apoiar totalmente os esforços humanitários e responder aos apelos das Nações Unidas. 

Pandemia 

A Organização Mundial da Saúde, OMS, já havia alertado que os "sistemas de saúde frágeis da Síria podem não ter capacidade para detectar e responder" à pandemia. 

Pedersen reiterou o pedido de cessar-fogo feito pelo do secretário-geral da ONU, e disse que no caso sírio, a medida deve ser completa para suprimir o novo coronavírus do país. 

Ele lembrou que os sírios são extremamente vulneráveis porque as ao vírus instalações de saúde estão destruídas, faltam equipamentos médicos e profissionais de saúde essenciais. 

O enviado especial ressaltou as condições perigosas de refugiados, deslocados internos, detidos e sequestrados. 

Mulheres 

Outra preocupação é com o impacto da situação em mulheres sírias, que já estão na vanguarda dos sistemas de apoio à saúde e à comunidade existentes. 

O enviado ressalta que o covid-19 é uma ameaça comum que não conhece fronteiras e não discrimina onde se vive.

Foto: CDC/Hannah A Bullock/Azaibi Tami
OMS pede união de esforços nacionais e federais de um modo mais sistemático no Brasil.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud