OMS: receios de possível transmissão do covid-19 no Iraque após situação no Irã 
BR

16 março 2020

Agência apoia centros para fazer tratamento mais sofisticado em Bagdá, Erbil e Basra; impacto da epidemia no vizinho Irã e fragilidade de sistema de saúde preocupam; casos já chegaram a todas províncias iraquianas. 

Um grupo de especialistas internacionais está visitando países afetados pelo novo coronavírus para apoiar medidas de contenção e prevenção.  

O Iraque é um dos pontos de grande atenção após o impacto do covid-19 no vizinho Irã, a terceira nação com maior número de casos depois da China e da Itália.   

Estudante 

No território iraquiano já foram confirmados pelo menos 83 casos até o fim de semana. O Irã teria sido a origem dos primeiros casos relatados no Iraque: um estudante, em fevereiro, e quatro membros de uma mesma família com idas frequentes ao país. 

Edifícios destruídos em Multaqa, no Iraque
Edifícios destruídos em Multaqa, no Iraque, by Unami

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, OMS, a ajuda dada ao Ministério da Saúde do Iraque inclui suprimentos de kits de testes laboratoriais e equipamentos de proteção para uma resposta rápida aos casos graves.  

Para acomodar pacientes que precisam de tratamento médico mais sofisticado serão instalados centros de isolamento de doenças respiratórias nas cidades iraquianas de Bagdá, Erbil e Basra. 

Guerras 

A preocupação crescente das autoridades de saúde locais é com uma possível transmissão doméstica da doença, que sobrecarregaria o sistema de saúde já fragilizado por vários anos de guerras e crises internas.  

No dia 21 de março, termina a primeira fase de restrições decretadas pelas autoridades de saúde a eventos públicos, paralisação de aulas em escolas nacionais, e de atividades em centros comerciais e locais de reunião. 

Controle 

Os especialistas da OMS tiveram reuniões com autoridades nacionais de saúde para identificar como vem sendo detetada a doença, verificar as populações em risco e ajudar a reforçar a resposta e as medidas de controle. 

A missão internacional analisou como as autoridades podem lidar com o aumento de casos e têm dado prioridade à criação do Centro de Operações de Emergência após o anúncio da pandemia. 

Quase todas as províncias iraquianas já relataram casos de covid-19. Pelo menos 24 infetados já recuperaram e oito perderam a vida devido ao coronavírus. 

Representante especial para o Iraque, Jeanine Hennis-Plasschaert, visita  hospital al-Kindi no Iraque (novembro 2019).
Unami/Sarmad al-Safy
Representante especial para o Iraque, Jeanine Hennis-Plasschaert, visita hospital al-Kindi no Iraque (novembro 2019).

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud