Índia abriga reunião sobre ‘super ano’ da natureza, que deve registrar novas espécies
BR

17 fevereiro 2020

Durante a CMS COP13, 10 novas espécies devem ser adicionadas para proteção na Convenção sobre Conservação de Espécies Migratórias de Animais Silvestres, Cites; selos com espécies migratórias listadas nos apêndices da CMS e da Cites serão lançados, nesta segunda-feira, em todo o mundo.

A 13º reunião da Conferência das Partes da Convenção sobre Conservação de Espécies Migratórias de Animais Silvestres, CMS COP13, foi aberta nesta segunda-feira, em Gandhinagar, na Índia.

O evento, que vai até 22 de fevereiro, inaugura o 'super ano' da natureza, que incluirá uma Cúpula da ONU realizada em setembro e a Conferência de Biodiversidade da ONU, marcada para o fim do ano. Nesta última conferência, será adotada uma nova estratégia global de biodiversidade para a próxima década, o Pós-2020 Quadro Global de Biodiversidade.

Durante a CMS COP13, 10 novas espécies devem ser adicionadas para proteção na Convenção. Entre eles, o elefante asiático. Foto: Banco Mundial/ Curt Carnemark

Proteção

O conceito de 'conectividade ecológica' é a prioridade da CMS para o quadro, que busca a proteção e restauração de áreas geográficas importantes e apoia espécies migratórias durante as diferentes fases de seus ciclos de vida, como criação e alimentação.

As deliberações na CMS COP13 se concentrarão na melhor forma de proteger as espécies migratórias num mundo em rápida mudança.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, destaca que o Relatório de Avaliação Global da ONU sobre Biodiversidade, lançado em maio de 2019, revelou que o mundo corre o risco de perder 1 milhão de espécies para extinção se nada for feito.  

2020

A vice-diretora executiva do Pnuma, Joyce Msuya, afirmou que “2020 é um ano importante para intensificar as ações de conservação de espécies, proteger ecossistemas e avançar para alcançar as metas de desenvolvimento sustentável.”  Ao falar sobre a CMS COP13, ela disse que o evento acontece “em um momento crucial”.

Um novo relatório, que será divulgado no evento, indica que, apesar de alguns exemplos bem-sucedidos, as populações da maioria das espécies migratórias, cobertas pelo CMS, estão em declínio.

ONU/John Isaac
Populações da maioria das espécies migratórias, cobertas pelo CMS, estão em declínio.

Espécies

O Pnuma enfatiza que é necessária uma cooperação internacional para proteger as espécies e seus habitats. Isso se reflete no tema da COP13: As espécies migratórias conectam o planeta - juntos, recebemos elas em casa.

Durante a CMS COP13, 10 novas espécies devem ser adicionadas para proteção na Convenção. Entre eles, o elefante asiático, a onça-pintada e a grande abetarda indiana, que é a mascote da COP13.

O evento também abordará questões e ameaças emergentes como a necessidade de ferramentas de orientação e implementação para mitigar os impactos de estradas e ferrovias em espécies migratórias e uma ação direcionada sobre a carne selvagem aquática, incluindo espécies de tubarões e raias.  

Selo

Um conjunto especial de selos emitidos pela Administração Postal das Nações Unidas, Unpa, em um projeto colaborativo com a Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Extinção, Cites, será apresentado aos delegados da CMS COP13.

Os selos, com espécies migratórias listadas nos apêndices do CMS e da Cites, serão lançados nesta segunda-feira em todo o mundo e estarão disponíveis na sede da ONU em Nova York, Genebra e Viena.

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Índia abriga reunião sobre ‘super ano’ da natureza, que deve registrar novas espécies

Durante a CMS COP13, 10 novas espécies devem ser adicionadas para proteção na Convenção sobre Conservação de Espécies Migratórias de Animais Silvestres, Cites; selos com espécies migratórias listadas nos apêndices da CMS e da Cites serão lançados, nesta segunda-feira, em todo o mundo.

Conferência sobre Oceanos em Lisboa 2020 abre “super ano” de temas ambientais

ONU Meio Ambiente espera que países adotem ação climática com base científica e façam compromissos voluntários; agência alerta sobre perda de espécies, em taxas mil vezes maior, do que em qualquer momento da história.