Passar para o conteúdo principal

Índia abriga reunião sobre ‘super ano’ da natureza, que deve registrar novas espécies BR

A 13º reunião da Conferência das Partes da Convenção sobre Conservação de Espécies Migratórias de Animais Silvestres, CMS COP13, acontece em Gandhinagar.
IISD/ENB/Sean Wu
A 13º reunião da Conferência das Partes da Convenção sobre Conservação de Espécies Migratórias de Animais Silvestres, CMS COP13, acontece em Gandhinagar.

Índia abriga reunião sobre ‘super ano’ da natureza, que deve registrar novas espécies

Clima e Meio Ambiente

Durante a CMS COP13, 10 novas espécies devem ser adicionadas para proteção na Convenção sobre Conservação de Espécies Migratórias de Animais Silvestres, Cites; selos com espécies migratórias listadas nos apêndices da CMS e da Cites serão lançados, nesta segunda-feira, em todo o mundo.

A 13º reunião da Conferência das Partes da Convenção sobre Conservação de Espécies Migratórias de Animais Silvestres, CMS COP13, foi aberta nesta segunda-feira, em Gandhinagar, na Índia.

O evento, que vai até 22 de fevereiro, inaugura o 'super ano' da natureza, que incluirá uma Cúpula da ONU realizada em setembro e a Conferência de Biodiversidade da ONU, marcada para o fim do ano. Nesta última conferência, será adotada uma nova estratégia global de biodiversidade para a próxima década, o Pós-2020 Quadro Global de Biodiversidade.

Montar cercas e usar ferramentas de detecção precoce também são recomendações para evitar o conflito entre os humanos e a vida selvagem
Durante a CMS COP13, 10 novas espécies devem ser adicionadas para proteção na Convenção. Entre eles, o elefante asiático. Foto: Banco Mundial/ Curt Carnemark

Proteção

O conceito de 'conectividade ecológica' é a prioridade da CMS para o quadro, que busca a proteção e restauração de áreas geográficas importantes e apoia espécies migratórias durante as diferentes fases de seus ciclos de vida, como criação e alimentação.

As deliberações na CMS COP13 se concentrarão na melhor forma de proteger as espécies migratórias num mundo em rápida mudança.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, destaca que o Relatório de Avaliação Global da ONU sobre Biodiversidade, lançado em maio de 2019, revelou que o mundo corre o risco de perder 1 milhão de espécies para extinção se nada for feito.  

2020

A vice-diretora executiva do Pnuma, Joyce Msuya, afirmou que “2020 é um ano importante para intensificar as ações de conservação de espécies, proteger ecossistemas e avançar para alcançar as metas de desenvolvimento sustentável.”  Ao falar sobre a CMS COP13, ela disse que o evento acontece “em um momento crucial”.

Um novo relatório, que será divulgado no evento, indica que, apesar de alguns exemplos bem-sucedidos, as populações da maioria das espécies migratórias, cobertas pelo CMS, estão em declínio.

Populações da maioria das espécies migratórias, cobertas pelo CMS, estão em declínio.
ONU/John Isaac
Populações da maioria das espécies migratórias, cobertas pelo CMS, estão em declínio.

Espécies

O Pnuma enfatiza que é necessária uma cooperação internacional para proteger as espécies e seus habitats. Isso se reflete no tema da COP13: As espécies migratórias conectam o planeta - juntos, recebemos elas em casa.

Durante a CMS COP13, 10 novas espécies devem ser adicionadas para proteção na Convenção. Entre eles, o elefante asiático, a onça-pintada e a grande abetarda indiana, que é a mascote da COP13.

O evento também abordará questões e ameaças emergentes como a necessidade de ferramentas de orientação e implementação para mitigar os impactos de estradas e ferrovias em espécies migratórias e uma ação direcionada sobre a carne selvagem aquática, incluindo espécies de tubarões e raias.  

Selo

Um conjunto especial de selos emitidos pela Administração Postal das Nações Unidas, Unpa, em um projeto colaborativo com a Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Extinção, Cites, será apresentado aos delegados da CMS COP13.

Os selos, com espécies migratórias listadas nos apêndices do CMS e da Cites, serão lançados nesta segunda-feira em todo o mundo e estarão disponíveis na sede da ONU em Nova York, Genebra e Viena.