Afeganistão tem uma chance para a paz que não pode ser desperdiçada
BR

17 fevereiro 2020

Secretário-geral, António Guterres, disse a jornalistas durante visita oficial ao Paquistão, que organização poderá participar de conversações com Talebã, caso solicitada; nesta segunda-feira, ele discursou em evento sobre 40 anos do apoio paquistanês a refugiado afegãos.

As conversações de paz para o Afeganistão contam com o pleno apoio das Nações Unidas. A declaração é o do secretário-geral da ONU, António Guterres, que realiza visita oficial ao Paquistão. Para ele, os afegãos têm uma chance única para a paz que não pode ser perdida.

O chefe da ONU afirma que o processo deve ser totalmente liderado pelos afegãos e que somente eles saberão o que é melhor para o seu futuro. Ele discursou durante um evento, em Islamabad, marcando os 40 anos do apoio paquistanês a refugiados do país vizinho.

Ao mencionar a situação dos afegãos que vivem no Paquistão, o secretário-geral disse que a solução duradoura é sempre o repatriamento voluntário, realizado de formas digna e segura. Foto: Mark Garten

Assistência

Ao mencionar a situação dos afegãos que vivem no Paquistão, o secretário-geral disse que a solução duradoura é sempre o repatriamento voluntário, realizado de formas digna e segura. E que o mesmo vale para qualquer refugiado. Ele informou que a ONU tem atuado nessa área e também na assistência a afegãos que vivem no Irã e no Paquistão.

Para Guterres, é preciso um compromisso renovado que leve à paz e à integração dos afegãos, e que os jovens precisam ser empoderados no processo.

Ele afirmou que a solução do conflito afegão interessa a todos. E citou que, atualmente, este é o maior grupo que chega à Europa ultrapassando, pela primeira vez, o número de sírios que fugiram da guerra.

Políticas inovadoras

Ele lembrou que o Paquistão é a segunda nação que mais abriga refugiados no mundo. O chefe da ONU elogiou ainda políticas inovadoras como registro biométrico, acesso ao sistema nacional de educação, saúde e inclusão na economia, oferecidas pelo governo paquistanês.

 Ao comentar o conflito afegão, Guterres citou a pobreza e o deslocamento forçado causados pelos anos de guerra.

Num evento separado,  ele participou do briefing a jornalistas ao lado do ministro das Relações Exteriores do Paquistão e o alto comissário para Refugiados.

Ao ser perguntado sobre as várias tentativas de paz no Afeganistão, ele disse que os afegãos não podem ser abandonados. E que esta é a hora de a comunidade internacional agir.

Em comunicado, emitido pelo seu porta-voz, na tarde desta segunda-feira, em Nova Iorque, Guterres afirmou que está acompanhando, de perto, as conversações entre os Estados Unidos e o Talebã sobre a redução da violência no Afeganistão.  O diálogo também deverá abrir um caminho para negociações de paz entre os afegãos.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Guterres cita vulnerabilidade do Paquistão, mas destaca ambição em prol da ação climática

Secretário-geral reitera responsabilidade dos emissores de carbono e setores industriais em limitar aquecimento global em 1,5º C ; temas como refugiados, paz regional e ODSs dominam visita do chefe da ONU ao país asiático.

Afegãos formam “uma das maiores e mais antigas populações refugiadas do mundo”

Paquistão e o Irã oferecem abrigo a 90% de cidadãos do Afeganistão que abandonaram seu país durante 40 anos; afegãos lideram pedidos de asilo na Europa; conferência internacional quer apoiar cerca de 4,6 milhões de pessoas que vivem fora do território afegão.