Relator especial sobre pobreza extrema visitará Espanha na próxima semana
BR

23 janeiro 2020

Philip Alston chega ao país em 27 de janeiro para uma viagem de trabalho de 10 dias; atualmente 26,1% dos espanhóis vivem sob risco de pobreza ou exclusão social contra 23,8% em 2008; taxa de desemprego representa o dobro da média da União Europeia.

A Espanha, quinta maior economia da Europa, tem um dos níveis mais altos de pobreza do continente. Este dado gera perguntas sobre quem estaria se beneficiando do crescimento econômico recente e quem está sendo esquecido.

Esta declaração é do relator especial* de direitos humanos sobre pobreza extrema, Philip Alston, que visitará a Espanha, na próxima semana.

A Espanha, quinta maior economia da Europa, tem um dos níveis mais altos de pobreza do continente. Foto: ONU News/ Anton Uspensky

Década

Alston disse ainda que “apesar de uma recuperação econômica impressionante, uma década após a crise financeira, muitos indicadores de pobreza e desigualdade na Espanha permanecem altos e superiores aos níveis antes da crise.

O relator especial deve passar 10 dias no país, concluindo a visita oficial em 7 de fevereiro.

 Atualmente, a Espanha tem 26,1% da população vivendo sob risco de pobreza ou exclusão social. Em 2008, esta taxa era de 23,8%.  Philip Alston afirma que esta é uma das taxas mais altas da União Europeia. Segundo ele, a metade dos espanhóis teve dificuldade para fechar o orçamento do mês e as pessoas mais expostas à pobreza são crianças, migrantes e os povos Roma e Sinti, conhecidos como ciganos.

Com mais de 14% de pessoas sem trabalho, em novembro passado, a taxa de desemprego no país representa o dobro da média europeia. O relator afirma que a Espanha também investe menos que os países da União Europeia em programas de apoio social.

Oportunidade

Philip Alston lembrou que o novo governo se comprometeu a melhorar o bem-estar socioeconômico da população e que a visita dele no início do governo também é uma oportunidade de avaliar a situação e fazer recomendações.

 Alston viajará à Galiza, ao País Basco, a Andaluzia, Extremadura e à Catalunha.

Ele vai se reunir com autoridades locais e com pessoas afetadas pela pobreza, além de ativistas, acadêmicos e representantes da sociedade civil.

Antes de chegar ao país, a equipe do relator realizou mais de 60 entrevistas por telefone e recebeu 40 textos de pessoas diretamente afetadas pelo tema.

 No fim da visita, em 7 de fevereiro, Philip Alston concederá uma entrevista a jornalistas na sede da Organização Mundial do Turismo, em Madri.

O relatório final deve ser apresentado ao Conselho de Direitos Humanos em junho deste ano. 

 

 *Os relatores de direitos humanos são independentes das Nações Unidas e não recebem salário pelo seu trabalho.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Em reunião do G-77, Guterres diz que maior desafio global é erradicar a pobreza

Secretário-geral discursou na cerimônia de passagem da presidência palestina para a Guiana, na sede da ONU em Nova Iorque, e pediu apoio dos países-membros no combate à mudança climática, à reforma da ONU e ao orçamento da organização em 2020.