Ator Liam Neeson reafirma apoio a crianças refugiadas em visita à fronteira Brasil-Venezuela
BR

13 janeiro 2020

Embaixador da Boa Vontade do Unicef acompanhou integração de migrantes e refugiados venezuelanos no ensino brasileiro; alvo da agência é atender cerca de 633 mil crianças afetadas pela migração devido à crise em seu país de origem.

O ator irlandês Liam Neeson interagiu durante quatro dias com venezuelanos que vivem na região fronteiriça entre o Brasil e a Venezuela.

O maior interesse do embaixador da Boa Vontade do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef,  é impulsionar o apoio às crianças em situação de fragilidade, famílias e comunidades das áreas de Pacaraima, Boa Vista e Rondônia.

O embaixador da boa vontade da Unicef, Liam Neeson, brinca com Thiago Alejandro, de três meses de idade, em Pacaraima, perto da fronteira Brasil-Venezuela. © Unicef/Hiller

Jornada 

Neeson visitou Rondônia 3, a maior instalação que abriga migrantes venezuelanos no Brasil. Mais de mil pessoas, incluindo 550 crianças, vivem atualmente no local.

O ator pediu mais apoio da comunidade internacional para as crianças e adolescentes refugiados e migrantes. Ele acompanhou  atividades recreativas e educacionais para a integração dos venezuelanos em escolas brasileiras.

Para ajudar o Brasil na resposta ao fluxo de migrantes da Venezuela, o Unicef atua com parceiros em áreas como educação, proteção infantil, saúde, nutrição, água, saneamento e higiene.

No Espaço Amigo da Criança ocorrem atividades das áreas educacional, recreativa e intervenções de apoio psicossocial. A ideia é preparar crianças e adolescentes para se integrarem em escolas locais ou apoiar aos que já frequentam esses centros.

© Unicef/Hiller
O ator irlandês Liam Neeson pediu mais apoio da comunidade internacional para crianças e adolescentes refugiados e migrantes.

Saúde

O embaixador da Boa Vontade também participou em atividades recreativas e acompanhou o trabalho dos monitores de promoção da saúde que são migrantes venezuelanos capacitados pelo Unicef.

As ações da agência acontecem em diferentes pontos da fronteira e ao longo das rotas de trânsito. O Unicef realiza atividades com parceiros em países como Equador, Peru, Brasil, Colômbia, Guiana e Trindade e Tobago. A meta da agência é fazer chegar a resposta de desenvolvimento em ambientes urbanos e promover a integração de crianças venezuelanas nas comunidades anfitriãs.

Cerca de 3,9 milhões de migrantes e refugiados venezuelanos vivem em países da América Latina e do Caribe e o número de famílias que deixam a Venezuela continua a aumentar.

Assistência

Somente este ano, mais de 1,9 milhão de crianças, incluindo migrantes venezuelanos e de comunidades anfitriãs, precisam de assistência.

As Nações Unidas destacaram que, até dezembro de 2019, receberam 41% dos US$ 69,5 milhões pedidos para a resposta aos refugiados venezuelanos na região.

Em 2020, a agência precisa de US$ 64 milhões para atender às necessidades de cerca de 633 mil crianças afetadas pela migração da Venezuela. Entre os beneficiários estão crianças dentro da Venezuela e em comunidades anfitriãs no Brasil e em outros cinco países da América Latina.

  

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Situação humanitária e de segurança na Venezuela preocupa alta comissária da ONU

Michelle Bachelet, responsável pelo Alto Comissariado de Direitos Humanos, cita crise econômica, violência, hiperinflação e diz que apenas uma minoria com acesso à moeda estrangeira consegue comprar alimentos.  

Agência da ONU elogia decisão do Brasil de reconhecer milhares de venezuelanos como refugiados

Decisão anunciada pelo Comitê Nacional de Refugiados do Brasil, Conare, beneficiará cerca de 21 mil venezuelanos; porta-voz da agência disse que “medida constitui um marco na proteção de refugiados na região”.