Chefe de missões de paz aponta “desafios complexos” e pede maior cooperação
BR

9 janeiro 2020

Jean-Pierre Lacroix prevê mais eficácia com aumento de ação conjunta internacional; ele falou à ONU News* durante evento em academia militar na Cidade do México.

O subsecretário-geral da ONU para Operações de Paz defendeu esta quarta-feira na Cidade de México que “o multilateralismo é mais necessário que nunca” diante do que considera “complexos desafios de paz e segurança”.

Jean-Pierre Lacroix encontrou-se com a liderança das Forças Armadas e apresentou uma palestra para os estudantes do colégio da Defesa Nacional do México.

Compromisso

No evento realizado com o tema “Perspectivas de Paz depois dos 75 anos. O que vem a seguir?”, o chefe das Operações de Paz elogiou o compromisso do país com a ONU destacando seu papel na organização.

“O 75º. aniversário das Nações Unidas é uma oportunidade para considerar o sucesso das operações de manutenção de paz, mas também para considerar como nós, unidos aos Estados-membros, podemos ajudar a melhorar a eficácia das operações. Este é o alvo, o objetivo da iniciativa do secretário-geral Ação para a Manutenção da Paz, A4P. Nesse marco da iniciativa, a gente tem conseguido vários progressos nos últimos dois anos, mas tem muito mais a fazer.”

Lacroix disse acreditar que o reforço da cooperação com os países-membros da organização pode melhorar a sua eficácia e o impacto das operações de paz. A ONU tem 110 mil boinas-azuis espalhados por 13 missões de paz em todo o mundo.

Unamis/Mohamad Almahady
Chefe do Departamento das Operações de Manutenção da Paz, Jean-Pierre Lacroix, em visita ao Sudão, na África.

Impacto

“No contexto dos esforços que nós fazemos para melhorar as operações de manutenção de paz, o papel do México pode ser muito importante, porque o México é um Estado-membro que tem um compromisso muito forte com as Nações Unidas. O México tem também capacidades que nos podem ajudar a melhorar o impacto das operações de manutenção de paz. Eu acho que tem uma determinação e um compromisso das autoridades mexicanas para se trabalhar com as Nações Unidas para conseguir esse objetivo.”

O México foi um dos 51 Estados-fundadores da ONU presentes na Conferência de São Francisco, onde foi firmada a Carta das Nações Unidas em 1945.

Recentemente, o país enviou observadores militares para missões de paz em países e territórios como Colômbia, Haiti, República Centro-Africana e Saara Ocidental.

 

*Com reportagem de Gaby Ramírez e Luís Arroyo do  Centro de Informação das Nações Unidas no México, Unic-México.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Nações Unidas lançam neste 16 de outubro nova presença no Haiti com escritório integrado

Subsecretário-geral para Operações de Paz foi ao Conselho de Segurança, na terça-feira, marcar fim da Missão das Nações Unidas para Apoio à Justiça no Haiti; número de homicídios caiu quase pela metade desde 2004, quando ONU inaugurou sua primeira missão na ilha caribenha, Minustah.

Número de mulheres observadoras e funcionárias subiu o dobro em missões de paz

Encontro do Conselho de Segurança debateu progressos da Ação para a Manutenção de Paz, que foi lançada há ano e meio; subsecretário-geral para as Operações de Paz disse que muitos desafios ainda não foram resolvidos.