ONU quer justiça após explosão de carro-bomba que matou 76 na Somália
BR

28 dezembro 2019

Explosão de veículo aconteceu na manhã de sábado na capital, Mogadíscio; ataque ainda não foi reivindicado; chefe da ONU renova compromisso de apoiar os somalis.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, condenou de forma veemente o ataque terrorista que este sábado matou dezenas de pessoas em Mogadíscio, na Somália.

Em nota emitida pelo seu porta-voz, em Nova Iorque, o chefe da ONU envia condolências às famílias das vítimas e deseja uma rápida recuperação dos feridos. Guterres defende que os autores do “crime horrendo” devem ser levados à justiça.

Responsabilização

Guterres quer que os responsáveis pelo ato prestem contas., by ONU/Jean Marc Ferré

Agências de notícias informaram que pelo menos 76 pessoas perderam a vida quando uma viatura foi detonada num momento de tráfico intenso durante a manhã na capital somali.

De acordo com os relatos das agências, pelo menos 90 pessoas ficaram feridas após a explosão ocorrida num posto de controle. Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelo ato.

Reconstrução

Segundo os relatos das agências, o presidente da Somália, Mohammed Abdullahi Farmaajo, destacou que o objetivo dos autores do ataque é “desmoralizar o povo somali”. Ele acrescentou que “os jihadistas nunca impediriam a reconstrução do país”.

O secretário-geral reitera o compromisso das Nações Unidas de apoiar o povo e o Governo da Somália na busca da paz e do desenvolvimento.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud