Brasil concentra mais de 85% dos casos de sarampo nas Américas em 2019, diz Opas
BR

27 dezembro 2019

Estados Unidos vêm em segundo lugar seguidos pela Venezuela; Organização Pan-Americana da Saúde, Opas, apoiou autoridades brasileiras com quase 24 milhões de doses de vacina contra a doença.

O Brasil teve este ano 13.488 casos de sarampo, o maior número de ocorrências das Américas. O número equivale a mais de 85% do total de casos. Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde, Opas, a região teve mais de 15,8 mil notificações em 14 países.

O segundo país com mais número de casos de sarampo foram os Estados Unidos com 1.276, seguidos pela Venezuela com 552 infecções. 

A OMS recomenda que os países mantenham a cobertura de vacinas num mínimo de 95%. Foto: Opas

Vacinas

Para combater o surto, a Opas despachou para o Brasil um lote de 23.592 milhões de doses de vacina, que também se aplica à caxumba e à rubéola, conhecida como a vacina tríplice.

Recentemente, o Brasil ultrapassou a média de 95% de cobertura com a primeira dose da vacina tríplice viral.

A imunização foi fornecida a 99,4% a crianças com idade de até um ano.  Para a Opas, o resultado quase universal deu-se através da cooperação da Organização Mundial da Saúde com o Ministério e as Secretarias de Saúde brasileiros.

Meta

O Ministério da Saúde do Brasil informou que foi a melhor campanha de vacinação contra o sarampo dos últimos cinco anos.

Entretanto, oito estados e o Distrito Federal estão ainda por alcançar o mínimo de 95% dessa meta. o Pará chegou a 85,4%, Roraima 87,9%, Bahia 88,9%, Maranhão 90%, Acre 91,4%, Piauí 91,9%, Distrito Federal 93,7%, São Paulo 93,9% e Amapá 94,9% da meta.

Em nível regional, a Colômbia teve 230 casos de sarampo, o Canadá 113 e a Argentina 85. Já o México registrou 20 pacientes, Chile 11, Costa Rica 10, e o Uruguai nove, as Bahamas três e o Peru dois. Os países com menos casos foram Cuba e a ilha caribenha de Curaçao com uma notificação cada um.

A OMS recomenda que os países mantenham a cobertura de vacinas num mínimo de 95%. As principais recomendações incluem manter a vigilância, prestar serviços de saúde e trabalhar com a informação ao público.

Casos Suspeitos

A Opas quer aumentar a imunidade da população, detectar ou dar uma resposta rápida aos casos suspeitos de sarampo.

O levantamento destaca que também é importante vacinar as populações em risco, como profissionais da saúde, dos setores de turismo e transporte e viajantes internacionais. Outra recomendação é acompanhar a chegada de estrangeiros e os fluxos de pessoas.

O pedido feito aos países é que cumpram o plano para imunizar cidadãos migrantes e residentes nas fronteiras movimentadas dando prioridade às populações em risco. Os viajantes internacionais que tiverem mais de seis meses devem receber a vacina se não se vacinaram ou não têm como provar a imunização.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

OMS alerta para “campanhas de desinformação” nas redes sociais sobre sarampo

Vírus matou 140 mil pessoas no mundo em 2018; bebês e crianças correm maior risco de complicações fatais; nos últimos 18 anos, estima-se que a vacinação contra doença tenha salvado mais de 23 milhões de vidas.

OMS: casos de sarampo ultrapassam 440 mil; Brasil lidera na AL com quase 12 mil

O mais afetado é o estado de São Paulo com mais da metade das notificações; na África, República Democrática do Congo já enterrou mais de 4,5 mil crianças por causa do surto; em todo o mundo, é o maior número desde 2006.