OMS: Moçambique recupera status de país livre da poliomielite
BR

23 dezembro 2019

Três nações africanas não registram surtos há dois anos; OMS destaca que Angola está entre os 12 países onde ocorrem surtos do vírus causados pela vacina; situação ocorre em áreas com saneamento inadequado.

Moçambique, Quênia e Níger não registraram surtos de poliomielite nos últimos dois anos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, OMS.

Em nota emitida esta segunda-feira, em Brazzaville, a agência revelou que a situação permitiu que estes países recuperassem o status de livres da doença.

De acordo com a OMS, 14 crianças foram infectadas pelo vírus da pólio derivado da vacina nessas nações em todo o ano de 2018 e início de 2019. Foto: © Unicef/Olivier Asselin

Resposta

De acordo com a OMS,  nessas nações, 14 crianças foram infectadas pelo vírus da pólio derivado da vacina nessas nações em todo o ano de 2018 e início de 2019.

Para a coordenadora de Ações de Resposta Rápida da OMS à Poliomielite em África, Modjirom Ndoutabe, o fim de surtos nesses países prova que ações como resposta, imunização de alta qualidade e vigilância podem travar surtos na região.

A representante defende que essa conquista é um incentivo forte e defende que seu grupo está determinado a eliminar todos os tipos de poliomielite no continente. Para Ndoutabe, o compromisso dos governos, da OMS e seus parceiros é garantir que as gerações futuras vivam livres desse vírus.

Os casos do pólio vírus derivados da vacina são raros, mas afetam populações não imunizadas ou com baixa vacinação que vivem em áreas com pouco saneamento e baixos níveis de imunização contra a doença. 

Imunidade

Quando as crianças recebem a vacina oral contra a poliomielite, o vírus se reproduz no intestino por algum tempo para aumentar a imunidade. Depois, esse agente é excretado das fezes para o meio ambiente e pode sofrer mutação.

Essas novas estirpes podem ser  transmitidas às populações em situação de fragilidade levando ao surgimento de pólio vírus derivados da onde a imunização contra a poliomielite é baixa e o saneamento é inadequado.

Desde 2016 não houve transmissão de pólio vírus selvagem na África. Dez anos antes, essa estirpe paralisou mais de 75 mil crianças em todo o continente. A OMS destaca, no entanto, que alguns países enfrentam surtos de pólio vírus derivado de vacina.

UNICEF
Para que a agência declare um país livre da poliomielite, técnicos nacionais e regionais devem confirmar que não houve transmissão da poliomielite.

Transmissão

Para que a agência declare um país livre da poliomielite, técnicos nacionais e regionais devem confirmar que não houve transmissão da poliomielite. Durante nove meses, as amostras são recolhidas em crianças paralisadas, pessoas que tiveram contato com elas ou ainda no meio ambiente.

A OMS atua na Iniciativa Global de Erradicação da Pólio com parceiros como o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, a Rotary Interacional, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA a Fundação Bill e Melinda Gates.

As medidas dos governos dos países afetados recebem apoio para o fim da transmissão do vírus da pólio.

Angola

Entre os Estados africanos onde há surtos de pólio vírus derivados de vacina estão Angola, Benim, Camarões, República Centro-Africana, Chade, Costa do Marfim, República Democrática do Congo, Etiópia, Gana, Nigéria, Togo e Zâmbia.

A OMS destaca que os fatores de risco para esses surtos incluem a fraca cobertura vacinal de rotina, a recusa de receber a vacina, o difícil acesso e a baixa qualidade de campanhas de vacinação que impedem o acesso a todas as crianças.

Aos países que estão nessa situação, a agência apela que garantam uma maior imunização de rotina, ao mesmo tempo em que responde os surtos seguindo regras internacionais. A outra medida é melhorar a vigilância para detectar os casos de pólio de uma forma rápida.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Acelerar a recuperação de Moçambique após ciclones é nova meta da ONU

Reservas de emergência esgotaram na resposta humanitária a ciclones de 2019; Escritório de Assistência Humanitária alerta que pelo menos uma grande tempestade poderá atingir o país na atual temporada de ciclones. 

Suplementação de vitamina A chega a milhões de crianças em Moçambique

Unicef apoia iniciativa financiada pelo Governo do Canadá; meta da campanha é abranger  4 milhões de crianças em todo o país;  na província de Maputo, ONU News acompanhou o processo que deve chegar a 330 mil crianças.*