Todos os dias, uma média de nove crianças são mortas ou mutiladas no Afeganistão
BR

17 dezembro 2019

Relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância afirma que número de mortes infantis aumentou cerca de 11% desde 2018; para agência, país é a "a zona de guerra mais letal do mundo".

Uma média de nove crianças foram mortas ou mutiladas todos os dias no Afeganistão em 2019, de acordo com um novo relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef.

A agência descreve o país como "a zona de guerra mais letal do mundo" e diz que as partes em conflito estão falhando com a sua obrigação de proteger as crianças há mais de 40 anos.

Vítimas

Entre 2009 e 2018, quase 6,5 mil crianças morreram e cerca de 15 mil ficaram feridas.

O número de mortes infantis aumentou cerca de 11% desde 2018, devido a fatores como um crescimento nos ataques com bombas suicidas e combates entre forças pró e antigoverno.

Em nota, a diretora executiva do Unicef, Henrietta Fore, disse que “mesmo para os padrões do Afeganistão, 2019 tem sido particularmente mortal para crianças."

Fore contou que crianças, famílias e comunidades sofrem “terríveis consequências dos conflitos todos os dias.” Segundo ela, esses menores “estão desesperados para crescer, ir à escola, aprender e construir um futuro.”

O Unicef pede que todas as partes envolvidas no conflito cumpram suas obrigações sob a lei internacional de direitos humanos e humanitários. As crianças devem ser protegidas, as escolas e centros de saúde não devem ser alvos e deve ser facilitado o acesso da assistência humanitária.

Desafios

As crianças do Afeganistão enfrentam uma série de outros desafios.

A desnutrição grave afeta, nesse momento, cerca de 600 mil jovens. Em relação ao casamento infantil, uma em cada três meninas casa antes de completar 8 anos. Cerca de 3,7 milhões de crianças em idade escolar não tem acesso a uma educação formal.

O Unicef tem vários programas no país que procuram resolver essas questões. Em um deles, a agência trabalha com autoridades e comunidades locais para proteger as meninas do risco de assassinatos por honra, abuso doméstico e violência sexual.

Em parceria com vários parceiros, o Unicef combate a desnutrição severa, fornecendo tratamento para 277 mil crianças afetadas. Para fornecer água a alguns dos 2,8 milhões de afegãos afetados por uma seca severa, a agência está implementando sistemas de abastecimento de água que usam energia solar.

Financiamento

O Unicef afirma, no entanto, que esses programas “precisam ser drasticamente ampliados.” Para 2020, o objetivo é ajudar mais 300 mil crianças com desnutrição grave. Outra meta é ajudar os 36% de pessoas que não tem acesso a água não contaminada.

Para realizar esse trabalho, a agência precisa de US$ 323 milhões no próximo ano. Até o momento, três quartos dos programas permanecem sem financiamento.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Número de vítimas de minas terrestres cresce pelo quarto ano consecutivo

No ano passado, 6.897 pessoas foram mortas ou feridas por este tipo de armamento; países-membros do Tratado de Proibição de Minas se reúnem em Oslo na próxima semana para avaliar progressos dos últimos 20 anos.