Pelo menos 58 migrantes morrem em naufrágio na costa da Mauritânia
BR

5 dezembro 2019

Navio tinha partido da Gâmbia há uma semana e estava com pouco combustível na altura do acidente; mais de 150 pessoas estavam a bordo, incluindo mulheres e crianças; agências da ONU dão apoio no local.

Pelo menos 58 migrantes morreram durante um naufrágio na costa da Mauritânia na quarta-feira, informou a Organização Internacional para Migrações, OIM.

Cerca de 83 pessoas conseguiram nadar até a costa e estão recebendo assistência das autoridades mauritanas, da OIM e da Agência da ONU para Refugiados, Acnur.

Dois irmãos adolescentes da Gâmbia que viajaram sem os pais pelo mar Mediterrâneo caminham por uma praia na Itália. Foto: © Unicef/Ashley Gilbertson

Desastre

Na segunda maior cidade do norte da Mauritânia, Nouadhibou, os sobreviventes disseram a funcionários da OIM que pelo menos 150 pessoas, incluindo mulheres e crianças, estavam a bordo do barco.

A embarcação tinha partido uma semana antes, no dia 27 de novembro, da Gâmbia em direção às Ilhas Canárias, e estava com pouco combustível quando se aproximou da nação do noroeste da África.

Resposta

Em nota, a chefe de missão da OIM na Mauritânia, Laura Lungarotti, disse que "as autoridades mauritanas estão coordenando a resposta com as agências em Nouadhibou com muita eficiência."

Lungarotti afirmou que, para as agências da ONU, a "prioridade é cuidar de todos os que sobreviveram e dar-lhes o apoio de que precisam."

Os feridos foram transferidos para o hospital da cidade e a OIM disponibilizou um médico para apoiar a resposta local.

As autoridades nacionais estão coordenando com os serviços consulares da Gâmbia para garantir que os migrantes recebem o apoio necessário enquanto estiverem no país.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Mais de mil migrantes já morreram atravessando o Mediterrâneo em 2019

Em seis anos, pelo menos 15 mil pessoas perderam a vida tentando travessia; Agência da ONU para Refugiados alertou para situação perigosa nas ilhas gregas; mais de 100 mil migrantes permanecem vulneráveis na Líbia.

Acnur apoia sobreviventes após novo naufrágio com dezenas de vítimas no Mediterrâneo

Cerca de 40 pessoas teriam morrido afogadas e outras 60 sobreviveram no mais recente incidente na costa da Líbia; número de mortes na travessia ao Mediterrâneo em 2019 ultrapassa 900.