Emissões de transporte do turismo devem representar 5,3% de todas emissões provocadas pelo homem até 2030
BR

4 dezembro 2019

De acordo com agência da ONU,  setor representa uma das atividades econômicas mais importantes para o crescimento e o desenvolvimento; chegada de turistas internacionais aumentou de 770 milhões em 2005 para 1,2 bilhão em 2016 e devem alcançar 1,8 bilhão em 2030.

As emissões relacionadas ao transporte do turismo devem representar 5,3% de todas as emissões de CO2 provocadas pelo homem até 2030.

A informação faz parte de um novo relatório lançado nesta quarta-feira, dia 4 de dezembro, pela Organização Mundial de Turismo, OMT, e o Fórum Internacional de Transportes, ITF, durante um evento paralelo da Conferência da ONU sobre o Clima, COP 25, que acontece em Madri, na Espanha.

Turismo

O relatório “Emissões de CO2 relacionadas ao transporte do setor de turismo” apresenta as emissões produzidas pelos diferentes modos de transporte turístico.

Como o número de turistas internacionais e domésticos continua a aumentar, esses dados são apresentados juntamente com o crescimento previsto de emissões para 2030 e são comparados com a chamada "ambição atual" para a descarbonização do transporte.

À medida que cresce o número de turistas e o setor avança na obtenção de viagens de baixo carbono, as emissões por passageiro-quilômetro devem diminuir na próxima década. Nesse contexto, a OMT apela a uma melhor cooperação entre os setores de transporte e turismo para transformar efetivamente a área em relação à ação climática.

Emissões

No cenário atual, as emissões de dióxido de carbono relacionadas ao transporte do turismo devem aumentar de 1.597 milhões de toneladas para 1.998 milhões entre 2016 e 2030, representando um crescimento de 25%.

Durante o mesmo período, espera-se que as chegadas internacionais e domésticas aumentem de 20 bilhões para 37 bilhões, impulsionadas principalmente pelo turismo doméstico, que passarão de 18,8 bilhões para 35,6 bilhões. A chegada de turistas internacionais aumentou de 770 milhões em 2005 para 1,2 bilhão em 2016 e a previsão é de alcançar 1,8 bilhão em 2030.

As emissões de transporte relacionadas ao turismo representaram 22% de todas as emissões de transporte em 2016 e continuarão a fazê-lo em 2030, com 21%.

Ao apresentar o relatório, o diretor executivo da OMT, Manuel Butler, disse que “agora o setor de turismo, especialmente os formuladores de políticas, devem usar os dados de maneira eficaz e garantirem que o setor tenha um papel de liderança na abordagem à emergência climática.”

As chegadas domésticas de turistas dobraram de 4 bilhões em 2005 para 8 bilhões em 2016 e devem atingir 15,6 bilhões em 2030. Foto: Banco Mundial/Simone D. McCourtie

Viagens

De acordo com a OMT, viagens aéreas acessíveis, maior conectividade, novos avanços tecnológicos, novos modelos de negócios e maior facilitação de vistos têm promovido o crescimento contínuo de turismo doméstico.

Hoje, o turismo é um dos setores econômicos mais importantes para o crescimento e o desenvolvimento. O setor representa 10% do Produto Interno Bruto, PIB, global e 10% dos empregos no mundo.

Mudanças Climáticas

Além de seus impactos, o turismo também é altamente vulnerável às mudanças climáticas. Ameaças para o setor incluem impactos diretos e indiretos, como eventos climáticos mais extremos, aumentando custos de seguro e preocupações com segurança, escassez de água, perda de biodiversidade e danos a ativos e atrações em destinos.

Como os recursos naturais e culturais são a base para a competitividade do setor, degradação e interrupção contínuas causadas pelo clima deverão afetar negativamente o setor de turismo, reduzindo a atratividade de destinos e a redução de oportunidades econômicas para as comunidades locais.

A OMT alerta que destinos como pequenos estados insulares em desenvolvimento estão entre os mais vulneráveis.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud