Na véspera da abertura da COP 25, Guterres alerta que “guerra contra a natureza deve parar”
BR

1 dezembro 2019

Secretário-geral cita progressos na questão climática, mas diz que “falta vontade política”;  últimos cinco anos foram os mais quentes já registrados; Conferência da ONU sobre o Clima inicia nesta segunda-feira em Madri, na Espanha. 

Falando a jornalistas em Madri, na Espanha, um dia antes da abertura da Conferência das Nações Unidas sobre o Clima, COP 25, o secretário-geral disse que “por muitas décadas, a espécie humana tem estado em guerra com o planeta” e que agora,  “o planeta está revidando.”

 

António Guterres mencionou dados de um novo relatório sobre o estado do clima produzido pela Organização Mundial de Meteorologia, OMM, e que será divulgado durante a conferência. Ele destacou que de acordo com o estudo, “os últimos cinco anos foram os mais quentes já registrados” e o “o nível do mar é o mais alto da história da humanidade.” 

Biodiversidade

O chefe da ONU apontou que “a biodiversidade na terra e no mar está sob ataque severo” e que “desastres naturais relacionados ao clima estão se tornando mais frequentes, mais mortais, mais destrutivos, com crescentes custos humanos e financeiros.”

Guterres explicou que uma das dimensões  da COP 25 é relacionada às negociações entre os Estados-membros para a aprovação das linhas de diretrizes do artigo seis do Acordo de Paris. Mas para ele, o grande objetivo da conferência é outro. 

"Nós vemos as tecnologias avançar numa boa direção, vemos as cidades. Vemos muitas empresas. O setor financeiro cada vez mais atento a ação climática. Mas falta vontade política. E os principais países emissores, embora tivéssemos tido 70 países em Nova Iorque, a concordar e a compromete-se com a neutralidade de carbono até 2050, os principais países emissores ainda não o fizeram. E se não fizerem, os nossos objetivos não são alcançáveis. Há portanto aqui, uma necessidade de aumentar a ambição. Uma necessidade de aumentar a responsabilidade coletiva e a COP 25 é uma oportunidade excelente para que essa responsabilidade possa ser exercida.” 

Crise

António Guterres acrescentou que “as mudanças climáticas não são mais um problema de longo prazo” e que o mundo está “diante de uma crise climática global.” Ele destacou que “o ponto de não retorno não está mais no horizonte” e que este “está à vista e avançando”. 

Local em Madri onde acontece a COP 25 até 13 de dezembro, by ifema feria de madrid

No entanto, o chefe da ONU disse que a mensagem dele  “é de esperança, não de desespero”. Guterres disse que a “guerra contra a natureza deve parar” e que todos sabem “que isso é possível”.
Para isso, o secretário-geral diz que é preciso vontade política para colocar um preço no carbono, para interromper os subsídios aos combustíveis fósseis, parar de construir usinas de carvão a partir de 2020 e mudar a tributação da renda para a poluição do carbono.
 
Guterres disse que espera que a COP 25 seja uma “demonstração clara de maior ambição e comprometimento, mostrando responsabilidade e liderança.” Para ele, o mundo está num “buraco profundo” e cavando ainda mais e em breve,  este buraco “será muito profundo para escapar.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

COP 25: Conheça cinco destaques da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática

Encontro começa em 2 de dezembro, em Madri, na Espanha; níveis de gases de efeito estufa na atmosfera alcançaram uma nova alta recorde; se as tendências atuais persistirem, temperaturas globais podem subir de 3.4 a 3.9ºC ainda neste século.

EUA apresentaram à ONU pedido formal de retirada do Acordo de Paris

Notificação de saída foi feita às Nações Unidas no dia do quarto aniversário da entrada em vigor do pacto; pelos termos do acordo, saída norte-americana deve acontecer em 4 de novembro de 2020.