OMS: casos de sarampo ultrapassam 440 mil; Brasil lidera na AL com quase 12 mil
BR

27 novembro 2019

O mais afetado é o estado de São Paulo com mais da metade das notificações; na África, República Democrática do Congo já enterrou mais de 4,5 mil crianças por causa do surto; em todo o mundo, é o maior número desde 2006.

Uma nova onda de sarampo no mundo está ceifando a vida de milhares de crianças e adultos. O alerta foi feito pela Organização Mundial da Saúde, OMS. Em todo o globo, já são mais de 440 mil casos.

Dentre os países de língua portuguesa, o Brasil foi citado com 11.887 mil notificações de sarampo. O estado de São Paulo é o que mais sofre, concentrando mais da metade dos casos. No ano passado, o total de infecções foi 10.326.

O sarampo foi identificado em 14 países das Américas, com o maior número de casos registrados nos Estados Unidos, Brasil e Venezuela, Organização Pan-Americana da Saúde, Opas

Mundo

A OMS lembra que este é o número mais alto causado por um surto de sarampo desde 2006.

Segundo a agência, “muitos países estão tendo surtos de sarampo”. Nos primeiros três meses deste ano, os casos triplicaram se comparados com o mesmo período do ano passado.

A agência destaca várias razões: desconfiança em relação a vacinas, falhas na cobertura de imunização e falta de acesso a centros de saúde ou exames de rotina.

O sarampo é altamente contagioso. Nove em cada 10 pessoas em contato com o vírus contraem a doença.

África

O continente africano é afetado por grandes surtos, apesar de uma queda recente em novos casos.

A maior preocupação da OMS é com a República Democrática do Congo, onde mais de 250 mil casos foram confirmados até este 17 de novembro. Somente na última semana, foram 8 mil novas contaminações.

Estes casos resultaram em pelo menos 5,1 mil mortes. Todas as províncias estão sendo afetadas e uma campanha nacional de vacinação deve terminar antes do final do ano.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, informou que mais de 90% das vítimas fatais eram crianças, o que representa a morte de mais de 4,5 mil meninos e meninas.

Segundo a agência, “violência e insegurança, falta de acesso a serviços de saúde e escassez de vacinas e kits médicos fizeram com que milhares de crianças não fossem vacinadas correndo risco de morte.”

Mediterrâneo e Europa

Na região do Mediterrâneo Oriental, o Líbano registrou mais de mil casos. No Iêmen, foram 5,8 mil. No Sudão, mais de 3,6 mil e Somália 2,8 mil. Existem ainda surtos no Paquistão, Tunísia e Iraque.

Muitos países da Europa tiveram grandes surtos. O maior foi na Ucrânia, com quase 57 mil casos, seguido pelo Cazaquistão, 10 mil pacientes, Geórgia, mais de 3,9 mil, e Rússia, com 3,5 mil casos. Há ainda casos na Turquia e Quirguistão.

Américas e Ásia

Na região das América, além do Brasil, a Venezuela registrou 520 casos de sarampo, mas nenhum novo caso foi registrado nas últimas 14 semanas. A Colômbia teve 215 casos.

Nos Estados Unidos, já foi declarado o fim de dois grandes surtos no estado de Nova Iorque, mas pequenos focos ainda existem em outros estados.

No Sudeste Asiático, Bangladesh registrou quase 4,2 mil casos, a maior parte nos assentamentos que acolhem refugiados Rohingya em Cox's Bazaar. Mianmar teve 5,3 mil casos, mas a OMS diz que depois de duas rondas de vacinação os surtos parecem estar resolvidos.

Existem ainda surtos na Tailândia, 4,8 mil casos, e outros focos menores nas Filipinas, Vietnã, Nova Zelândia e ilhas do Pacífico, como Tonga, Fiji e Samoa Americana.

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Europa perde terreno em esforços para eliminar sarampo

Quatro países, incluindo Grécia e Reino Unido, saem do grupo de países que eliminaram a doença; para Organização Mundial da Saúde, surtos contínuos de sarampo mostram que é preciso fazer mais para eliminar a doença no continente.