Incêndios na Austrália causam mortes e destroem centenas de propriedades BR

A OMM alerta que altos níveis de poluição por fumaça continuam a se espalhar por milhares de quilômetros.
Foto: Serviços de Emergência e Incêndio de Queensland
A OMM alerta que altos níveis de poluição por fumaça continuam a se espalhar por milhares de quilômetros.

Incêndios na Austrália causam mortes e destroem centenas de propriedades

Clima e Meio Ambiente

Vários recordes de registros de temperatura foram quebrados durante este mês; na quinta-feira, uma nuvem de fumaça voltou a pairar sobre a cidade de Sydney; previsões indicam mais calor e possibilidades de novos sinistros.

A Austrália tem enfrentando dezenas de incêndios florestais causados pelas altas temperaturas e ventos além da baixa umidade do solo.

A incidência de incêndios florestais é influenciada em grande parte pelas variantes naturais do clima
A OMM afirma que a incidência de incêndios florestais é influenciada em grande parte pelas variantes naturais do clima. Foto: Serviços de Emergência e Incêndio em Queensland

De acordo com a Organização Mundial de Meteorologia, OMM, os extensos e intensos incêndios provocaram mortes, arrasaram residências e ecossistemas e geraram problemas na qualidade do ar.

Fumaça

Segundo agências de notícias, os incêndios mataram seis pessoas desde outubro. No estado de Nova Gales do Sul, na costa leste da Austrália, e em Queensland, no nordeste do país, o fogo teria destruído mais de 500 casas.

A OMM alerta que altos níveis de poluição por fumaça continuam a se espalhar por milhares de quilômetros, chegando ao Pacífico e à América do Sul, de acordo com imagens de satélite.

#Australia had 2nd warmest Jan–Oct on record, with rainfall the second-lowest on record. Rainfall deficiencies since start of 2017 have affected many parts of NSW, Queensland and South Australia, per @BOM_au #NSWfires pic.twitter.com/W36C7aTVaa

— WMO | OMM (@WMO) November 19, 2019

Segundo o Escritório de Meteorologia da Austrália, vários recordes de registros de temperatura foram quebrados durante este mês.

Um alerta de sinal vermelho foi emitido para partes de Victoria, no sudeste, onde são previstos riscos de incêndios severos. Na quinta-feira, uma nuvem de fumaça voltou a pairar sobre Sydney.

Altas Temperaturas

A OMM explica que os incêndios atuais se devem a uma combinação de fatores, incluindo baixa umidade do solo, calor e, principalmente, direção e velocidade do vento. As previsões para o período entre outubro a abril indicam que pode haver menos ciclones tropicais, mas mais risco de calor e incêndio nos próximos meses.

De acordo com Escritório de Meteorologia da Austrália, o registro de chuvas foi o segundo mais baixo em 120 anos, o que afetou a maior parte de Nova Gales do Sul, Queensland e região sul da Austrália desde o início de 2017.

As condições de seca dos últimos três anos foram mais graves durante a estação fria, que é importante em muitas regiões para gerar escoamento. As chuvas no período de abril a setembro foram inferiores a 50% da média em 12 dos 30 distritos de Nova Gales do Sul.

Incêndios

A OMM afirma que a incidência de incêndios florestais é influenciada em grande parte pelas variantes naturais do clima. Isso inclui a precipitação e vento, assim como outros fatores não relacionados, como exemplo, o manejo de terras e florestas e práticas de construção.

O relatório sobre o estado do clima na Austrália de 2018, divulgado no início deste ano, informou que houve um "aumento a longo prazo do clima extremo e na duração da estação de incêndio, em grandes partes” do país. O estudo acrescentou que a “mudança climática, incluindo temperaturas crescentes está contribuindo para essas mudanças.”

O clima da Austrália aqueceu pouco mais de 1°C desde 1910, levando a um aumento na frequência de eventos extremos de calor. Houve um declínio de cerca de 11% nas chuvas de abril a outubro no sudeste do país desde o final dos anos 90.