OMS alerta que sistema de saúde no Iêmen precisa de mais apoio
BR

15 novembro 2019

Autoridades locais declararam emergência após aumento de casos de dengue e malária; cólera matou quase mil pessoas este ano; 250 mil iemenitas sofrem desnutrição grave no país em conflitos e funcionários. 

A Organização Mundial da Saúde, OMS, fez um apelo nesta sexta-feira para que seus parceiros ajudem as ações no Iêmen. A crise humanitária no país é considerada a pior do mundo.

Em nota emitida em Genebra, a agência aponta que a situação é causada pelo conflito que já dura mais de cinco anos, a economia em colapso, a destruição da infraestrutura de saúde básica e o perigo de grande parte da população estar à beira da fome.

Bebé prematuro recebe tratamento em Hospital de Alsabeen, no Iêmen. Foto: Unicef/Fuad

Epidemias

Esta semana, as autoridades de saúde do Iêmen declararam emergência devido a epidemias de dengue e malária que afetam nove províncias do norte.

Pelo menos 116 mil  casos de malária e 23 mil de dengue foram notificados desde janeiro. A guerra no país também provocou a expansão de epidemias como a cólera, que ao todo contaminou 771 mil pessoas e matou quase mil.

Cerca de 24 milhões de pessoas precisam de assistência no país árabe. Destas, mais de 80%  precisam de cuidados médicos ou acesso a serviços de saúde.

De acordo com a OMS, os principais riscos para a população continuam sendo a falta de acesso às unidades de saúde e a lentidão na resposta aos surtos de doenças e epidemias.

Fome

Mais de 20 milhões de iemenitas enfrentam insegurança alimentar. Outras  250 mil estão gravemente desnutridas e correm maior risco de passar fome. Pelo menos 17,8 milhões de habitantes não têm acesso à água potável e ao saneamento.

A agência da ONU apoia 6 milhões de pessoas através do Fundo Humanitário para o Iêmen. De acordo com a OMS, somente metade das instalações de saúde funcionam no país que enfrenta desafios como falta de medicamentos, equipamentos e funcionários. 

Ocha/Giles Clark
Bairro de Cratar, em Aden, no Iêmen

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Enviado da ONU destaca “sinais de esperança” para o Iêmen

Conselho de Segurança debateu situação no país; Martin Griffiths destacou redução dos combates e libertação de prisioneiros; chefe humanitário disse que setembro foi o mês mais letal para civis, mas situação melhorou em outubro.

Unicef: 2 milhões de crianças estão fora da escola no Iêmen

Segundo Fundo das Nações Unidas para a Infância, outras 3,7 milhões correm risco de serem forçadas a sair da escola por falta de salário dos professores; em Nova Iorque, evento marcou os 30 anos da adoção da Convenção sobre os Direitos da Criança.