Passar para o conteúdo principal

OMS alerta que sistema de saúde no Iêmen precisa de mais apoio BR

Hospital de Alsabeen, no Iêmen, onde são tratados bebês prematuros
Unicef/Fuad
Hospital de Alsabeen, no Iêmen, onde são tratados bebês prematuros

OMS alerta que sistema de saúde no Iêmen precisa de mais apoio

Assuntos da ONU

Autoridades locais declararam emergência após aumento de casos de dengue e malária; cólera matou quase mil pessoas este ano; 250 mil iemenitas sofrem desnutrição grave no país em conflitos e funcionários. 

A Organização Mundial da Saúde, OMS, fez um apelo nesta sexta-feira para que seus parceiros ajudem as ações no Iêmen. A crise humanitária no país é considerada a pior do mundo.

Em nota emitida em Genebra, a agência aponta que a situação é causada pelo conflito que já dura mais de cinco anos, a economia em colapso, a destruição da infraestrutura de saúde básica e o perigo de grande parte da população estar à beira da fome.

Bebé prematuro recebe tratamento em Hospital de Alsabeen, no Iêmen
Bebé prematuro recebe tratamento em Hospital de Alsabeen, no Iêmen. Foto: Unicef/Fuad

Epidemias

Esta semana, as autoridades de saúde do Iêmen declararam emergência devido a epidemias de dengue e malária que afetam nove províncias do norte.

Pelo menos 116 mil  casos de malária e 23 mil de dengue foram notificados desde janeiro. A guerra no país também provocou a expansão de epidemias como a cólera, que ao todo contaminou 771 mil pessoas e matou quase mil.

Cerca de 24 milhões de pessoas precisam de assistência no país árabe. Destas, mais de 80%  precisam de cuidados médicos ou acesso a serviços de saúde.

De acordo com a OMS, os principais riscos para a população continuam sendo a falta de acesso às unidades de saúde e a lentidão na resposta aos surtos de doenças e epidemias.

Fome

Mais de 20 milhões de iemenitas enfrentam insegurança alimentar. Outras  250 mil estão gravemente desnutridas e correm maior risco de passar fome. Pelo menos 17,8 milhões de habitantes não têm acesso à água potável e ao saneamento.

A agência da ONU apoia 6 milhões de pessoas através do Fundo Humanitário para o Iêmen. De acordo com a OMS, somente metade das instalações de saúde funcionam no país que enfrenta desafios como falta de medicamentos, equipamentos e funcionários. 

Bairro de Cratar, em Aden, no Iêmen
Ocha/Giles Clark
Bairro de Cratar, em Aden, no Iêmen