Organização Mundial de Meteorologia faz alerta sobre frequências de rádio 

24 outubro 2019

Agência da ONU diz que número limitado de faixas em competição com sistemas de previsão do tempo e novas tecnologias de celulares 5 G são motivo de preocupação; serviços de meteorologia são cruciais na prevenção de desastres naturais.

A Organização Mundial de Meteorologia, OMM, está pedindo a governos de todo o mundo que protejam as frequências de rádio usadas pelos serviços de observação do planeta Terra.  

Segundo a agência, esses sistemas “são essenciais para fazer previsões meteorológicas e acompanhar as mudanças climáticas a longo prazo.” 

Alarme 

Casa destruida pelo ciclone Idai que atingiu Moçambique, Unicef/DE WET

A OMM afirma que “está crescendo o alarme na comunidade meteorológica devido ao aumento da competição pelas ondas de rádio, incluindo por sistemas de celulares de última geração, como os serviços 5G.” 

Essa competição pode acabar prejudicando sistemas criados há muito tempo, como satélites, sondas, radares e outros sistemas de observação.  

Em nota, o presidente do Grupo de Coordenação das Frequências de Rádio da OMM, Eric Allaix, disse que a agência “obviamente não quer comprometer a implementação de novas tecnologias de informação.” 

Ainda assim, “tem a preocupação de que essas tecnologias não interfiram com frequências usadas em aplicações que salvam vidas, como previsão meteorológica.” 

Para o especialista, “precisa existir um equilíbrio entre os interesses comerciais e tecnológicos de curto prazo e o bem-estar e seguranca de longo prazo.” Ele afirma que o mundo “não pode correr o risco de reverter conquistas nos serviços de prevenção de desastres naturais, potencialmente aumentando as perdas de vidas e bens.” 

Importância 

Nas últimas décadas, houve uma queda na perda de vidas devido à melhoria dos sistemas de previsão do tempo. Esses avanços estão diretamente ligados às tecnologias que usam sinais de rádio para recolher dados.  

Nas últimas décadas, a OMM e a União Internacional de Telecomunicações, UIT, têm cooperado para proteger estas frequências especiais. As duas organizações usam os últimos estudos disponíveis para desenvolver novos regulamentos. 

Essas decisões são tomadas durante a Conferência de Radiocomunicações Mundiais, que esse ano acontece entre 28 de outubro e 2 de novembro na cidade de Sharm el-Sheikh, no Egito. O encontro terá mais de 3,5 mil participantes de 193 países-membros.  

Já em 2019, o Congresso Meteorológico Mundial aprovou uma resolução mostrando sérias preocupações com estas ameaças. Segundo o documento, é preciso garantir “a disponibilidade e proteção absoluta deste recurso natural único.” 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

ONU pede investimentos para reduzir impacto de desastres naturais

Em Dia Internacional para Redução de Riscos de Desastres, neste 13 de outubro, secretário-geral disse que acidentes “podem apagar décadas de desenvolvimento num instante”; Moçambique precisa de US$ 3,2 bilhões para reconstrução pós-ciclones.