Refugiados sírios chegam ao Iraque após semana de violência em seu país
BR

18 outubro 2019

Segundo o Acnur, mais de 1,6 mil sírios foram transportados para o acampamento de Bardarash; ONU estima que cerca de 166 mil pessoas tenham sido forçadas a deixar suas casas nos últimos sete dias.

Pelo quarto dia consecutivo, a Agência de Refugiados da ONU, Acnur, recebeu centenas de refugiados da Síria que estão cruzando a fronteira com o Iraque. As pessoas chegam principalmente de cidades do norte do país, entre elas, Kobani, Amoda e Qamishly.

Durante entrevista a jornalistas, em Genebra, o porta-voz do Acnur, Andrej Mahecic, disse que até a manhã desta sexta-feira, mais de 1,6 mil sírios foram transportados para o acampamento de refugiados de Bardarash, que fica a 150 quilômetros a leste da fronteira entre a Síria e o Iraque.

Acnur e parceiros alimentam refugiados da Síria no campo de Bardarash, no Iraque. Foto: © Acnur/Rasheed Hussein Rasheed

Assistência

Segundo Mahecic, os refugiados contaram ao Acnur que eles levaram “dias para chegar à fronteira enquanto fugiam de bombardeios e combates.” O porta-voz acrescentou que a maioria eram mulheres, crianças e idosos.

Equipes da ONU e parceiros estão trabalhado dia e noite, com autoridades locais, para transportar os refugiados para o acampamento de Bardarash e atendê-los.

Mahecic contou que na chegada, os refugiados recebem comida, água, itens básicos de ajuda, incluindo colchões, cobertores, utensílios de cozinha e outros itens. Ele disse ainda que equipes médicas com ambulâncias estão no local para fornecer assistência.

Síria

O porta-voz destacou que na Síria, após uma semana de violência no nordeste do país, o Acnur e parceiros conseguiram “assistir cerca de 60 mil sírios recém-deslocados, assim como aqueles forçados a fugir de um acampamento para outro.”

Quase 23 mil pessoas receberam itens essenciais de inverno e assistência nos acampamentos. A agência da ONU também prestou a mesma assistência para outros 35,7 mil que estão vivendo em abrigos coletivos e comunidades anfitriãs.

A ONU estima que cerca de 166 mil pessoas tiveram que fugir de suas casas nos últimos sete dias. As famílias recém-deslocadas continuam a procurar abrigo em acampamentos, abrigos comunitários, com familiares, amigos ou conhecidos.

© Acnur/Firas Al-Khateeb
Refugiados sírios que fugiram dos combates no norte da Síria cruzaram o Iraque para um centro de acolhida do Acnur em Dohuk.

Violência

O porta-voz do Acnur disse que a violência causou caos entre os civis, atingindo os mais vulneráveis ​​com mais força.”  Como exemplo, ele citou a história de um menino de 13 anos chamado Ras-Al-Ain.

Mahecic descreveu como a “criança fugiu para salvar sua vida em meio a lutas intensas e se perdeu de seus pais”, seguiu a multidão e alcançou um dos abrigos comunitários em Al-Hassakeh, onde voluntários do Acnur “conseguirem encontrar a família dele.”

O Acnur reitera seus apelos à proteção de civis e infraestrutura civil. O porta-voz afirmou que também “é fundamental que os trabalhadores humanitários tenham acesso humanitário irrestrito para alcançar os recém-deslocados e ajudá-los sempre que necessário.”

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Em Damasco, enviado da ONU pede fim imediato de confrontos no nordeste da Síria

Geir Pedersen disse ao governo sírio que Nações Unidas estão “extremamente alarmadas” com as consequências humanitárias da ação militar em curso; discussões incluíram lançamento do Comitê Constitucional sobre a Síria.

Ação militar da Turquia no nordeste da Síria já deslocou mais de 160 mil civis

Há relatos de ataques aéreos a comboios e de circulação de vídeos, em redes sociais, com imagens de capturas e execuções; PMA está distribuindo alimentos e Unicef pede que crianças sejam poupadas da violência.