Brasil e Portugal entre os cinco principais em registro global de proteção de marcas
BR

18 outubro 2019

Relatório da Organização Mundial de Propriedade Intelectual tem dados de Angola, Cabo-Verde, Moçambique e São Tomé e Príncipe; Brasil é o terceiro com maior crescimento mundial ficando atrás de Índia e França.

As Nações Unidas divulgaram esta quinta-feira os Indicadores de Propriedade Intelectual Mundial 2019.

A publicação da Organização Mundial de Propriedade Intelectual, Ompi, em Genebra, analisa categorias como patentes, marcas, projetos industriais, variedades vegetais, indicações geográficas e indústria editorial.

Portugal está ao lado do Brasil, da China, da Rússia e do Reino Unido no grupo de cinco nações que a agência destaca pelo grande aumento no registro de proteção de marca. Foto: ONU News/António Ferrari

Proteção

Brasil e Portugal estão ao lado da China, da Rússia e do Reino Unido no grupo de cinco nações que a agência destaca pelo “grande aumento” no registro de proteção de marca em relação ao Produto Interno Bruto, PIB, entre 2008 e 2018.

Já no registro de patentes, o Brasil é o terceiro país com o maior crescimento global com 9,8%, atrás da Índia com 20,8% e da França com 10,5%. 

O Brasil destaca-se ainda nas vendas online, em terceiro lugar, com 25,5% do total global. A lista é encabeçada pelo Reino Unido com 51,5% e depois os Estados Unidos com 41,5%.

De acordo com o relatório, a Ásia representa mais de dois terços de todas as solicitações de patentes, marcas comerciais e projetos industriais de 2018.

ONU/ Loey Felipe
A China lidera o crescimento global na demanda por direitos de propriedade intelectual.

Recorde

 A China lidera o crescimento global na demanda por direitos de propriedade intelectual. O país registrou um recorde de 1,5 milhão de pedidos, que correspondem a 46,4% do total global.

Os Estados Unidos mantêm a liderança em termos de solicitações que foram feitos nos mercados de exportação. O país teve 597.141 solicitações, seguidos do Japão com 313.567 e da Coreia do Sul com 209.992. 

O levantamento anual sobre a atividade de propriedade intelectual em todo o mundo coloca Angola entre as nações que mais cresceram no registro de patentes por ano durante a década analisada, com 23,6%. O país vem atrás da África do Sul e do Suriname.

Quanto às marcas registradas localmente e pela origem, o Brasil está na frente dos países lusófonos com 191.813, Portugal com 27.892 Moçambique com 4.809, Angola 2.121; Cabo Verde 144 e São Tomé e Príncipe com 1.628.

A indicação geográfica reflete a ligação entre a qualidade, a reputação ou a característica de um bem e o seu local de origem. Nesse aspecto, Portugal está na sétima posição global com 5.998 registros. A categoria é liderada pela Alemanha.

O estudo aponta ainda o total de livros depositados em um repositório reconhecido, estando 21.668 exemplares registados pela Biblioteca Nacional do Brasil e 17.315 na Biblioteca Nacional de Portugal.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Brasil reeleito para Conselho de Direitos Humanos da ONU

País recebeu 153 votos e foi eleito ao lado da Venezuela, com 105 votos; Costa Rica que também concorria no grupo de América Latina e Caribe não conseguiu o assento; embaixador brasileiro junto à ONU disse que reeleição é “reconhecimento do legado do país nessa área”. 

Comitê dos Direitos da Criança destaca avanços e preocupações em Portugal

Especialistas das Nações Unidas acolhem mudança na lei de cidadania e criação de nova comissão; também dizem estar preocupados com caída da qualidade de vida de meninos e meninas vivendo em pobreza e com falta de denúncias sobre assédio online.