Em Damasco, enviado da ONU pede fim imediato de confrontos no nordeste da Síria BR

Nações Unidas estão “extremamente alarmadas” com as consequências humanitárias, as mortes e os mais de 160 mil deslocados no país.
Foto: PMA/Alan Ali
Nações Unidas estão “extremamente alarmadas” com as consequências humanitárias, as mortes e os mais de 160 mil deslocados no país.

Em Damasco, enviado da ONU pede fim imediato de confrontos no nordeste da Síria

Paz e segurança

Geir Pedersen disse ao governo sírio que Nações Unidas estão “extremamente alarmadas” com as consequências humanitárias da ação militar em curso; discussões incluíram lançamento do Comitê Constitucional sobre a Síria.

O enviado especial do secretário-geral das Nações Unidas para a Síria pediu esta quarta-feira o fim imediato de confrontos na fronteira do país com a Turquia, na sequência das ações militares das forças turcas.

Enviado especial do secretário-geral das Nações Unidas para a Síria, Geir Pedersen.
Enviado especial do secretário-geral das Nações Unidas para a Síria, Geir Pedersen., by Foto ONU/Evan Schneider

As declarações de Geir Pedersen foram feitas a jornalistas, em Damasco, após um encontro realizado com o ministro sírio dos Negócios Estrangeiros e Expatriados, Walid al-Muallem.

Consequências

O enviado disse que o foco da conversa foi a situação no nordeste sobre a qual as Nações Unidas estão “extremamente alarmadas” com as consequências humanitárias, as mortes e os mais de 160 mil deslocados.

Pedersen ressaltou que “existe apenas uma solução política para a crise no nordeste”, tendo apelado a todas as partes que participem nesses esforços.

O lançamento do Comitê Constitucional sobre a Síria também esteve na agenda das  discussões, que segundo Pedersen foram “bastante detalhadas”. O enviado da ONU disse ter falado de avanços para o lançamento desse comitê até o final deste mês.

Nova Constituição

O representante considerou “muito boas” as conversas tidas com as autoridades de Damasco e representantes da oposição na cidade saudita de  Riade. A expectativa é que o comitê seja “uma porta” para um processo político mais amplo no país em guerra desde 2011.

De acordo com as previsões, a primeira reunião do Comitê Constitucional sobre a Síria deve ocorrer em Genebra no dia 30 de outubro. As Nações Unidas apoiam a formação do grupo de 150 membros “organizados e liderados pelos sírios” que deverá elaborar uma nova Constituição.

A seleção dos integrantes deve sair da eleição de 50 pessoas pelo governo, 50 pela oposição e outras 50 pela ONU, para que esteja representada a sociedade civil síria.