No Dia Mundial do Habitat, chefe da ONU destaca gestão de resíduos e reciclagem

7 outubro 2019

Em mensagem, António Guterres falou sobre papel central de cidades e comunidades para se alcançar a Agenda 2030; capitais bem planejadas e inteligentes ajudam com crescimento inclusivo e baixa emissão de carbono.

A ONU celebra neste 7 de outubro o Dia Mundial do Habitat. Este ano, o tema é a gestão de resíduos e o potencial das tecnologias de ponta para transformar o lixo em riqueza.

O secretário-geral emitiu mensagem afirmando que a urbanização rápida e sem planejamento pode agravar vários desafios, entre eles a mudança climática.

Na primeira fase, serão construídas 500 salas de aula, Unicef/Frank Dejongh

Sensores

Para António Guterres, as soluções começam com passos curtos que podem ser tomados para mudar o rumo da função das cidades.

Com a gestão de resíduos, o lixo pode ser reciclado incluindo a energia.

Já as tecnologias de ponta oferecem respostas mais baratas e melhores a esses desafios diários enfrentados pelos centros urbanos.

A automação e a inteligência artificial podem ajudar a organizar os recicláveis de forma mais eficiente. Os sensores, por exemplo, em embalagens inteligentes levam à redução do desperdício de comida. Tecnologias inovadoras já estão transformando o lixo em energia e compostas.

O impacto ambiental pode ser reduzido com novos materiais como plástico biodegradável.

Este ano, o ONU-Habitat está destacando 20 projetos que lançaram mão de novas tecnologias baseadas em soluções inovadoras.

Entre eles estão propostas do Brasil, do Líbano e da Bacia do Lago Vitória, na África.  Veja a lista completa em inglês.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Unicef apoia primeira fábrica de tijolos feitos de plástico reciclado de África

Iniciativa na Cote d’Ivoire vai permitir construção de 500 salas de aula para mais de 25 mil crianças marfinenses; tijolos são resistentes ao fogo, 40% mais baratos, 20% mais leves e têm uma durabilidade superior em centenas de anos.