A última entrevista de Diogo Freitas do Amaral à ONU

3 outubro 2019

Político e professor de direito português foi presidente da 50ª sessão da Assembleia Geral da ONU; conversa aconteceu na comemoração dos 70 anos do maior órgão deliberativo da organização em 2015.*

Morreu esta quinta-feira o português que presidiu a 50ª sessão da Assembleia Geral da ONU entre 1995 e 1996. Político e professor de direito, Diogo Freitas do Amaral ocupou vários cargos proeminentes no governo de Portugal, incluindo os de vice-primeiro-ministro e de ministro de Negócios Estrangeiros.

Freitas do Amaral concedeu a sua última entrevista à  ONU News em 2015, por ocasião da comemoração dos 70 anos da Assembleia Geral. Ele morreu após doença prolongada aos 78 anos, esteve casado durante 54 e teve quatro filhos.

Apostas

Conforme destaca o perfil publicado pelas Nações Unidas,  o ex-presidente do principal órgão deliberativo da organização teve formação em Direito pela Universidade de Lisboa desde 1963.

A vida de Freitas do Amaral foi marcada pelo envolvimento na política ativa portuguesa entre 1974 a 1986. Uma dos maiores apostas nesse período foi a candidatura presidencial nas eleições de 1986, nas quais ficou em segundo lugar a seguir ao então presidente Mário Soares.

Freitas do Amaral nasceu em 21 de julho de 1941 na Póvoa do Varzim, uma cidade no norte de Portugal.

Membro-fundador

De 1981 a 1983, Freitas do Amaral foi vice-primeiro-ministro e ministro da Defesa de Portugal. Entre  dezembro de 1980 a janeiro de 1981, o político foi primeiro-ministro interino. O académico atuou como vice-primeiro-ministro e ministro dos Negócios Estrangeiros de 1980 a 1981 .

Entre 1982 e 1983, Freitas do Amaral presidiu a bancada democrata-cristã do Partido Popular Europeu. O também membro-fundador do Partido da Democracia Cristã de Portugal em 1974, veio a liderar esta formação política até 1982. Em 1988, Freitas do Amaral foi novamente eleito presidente do partido por três anos.

Freitas do Amaral  integrou o Parlamento Português, em representação do distrito eleitoral de Lisboa entre 1975 e 1983, e novamente de 1992 a 1993. Entre maio de 1974 e março de 1975, ele foi membro do Conselho de Estado.

Estudantes

Freitas do Amaral  obteve um doutoramento em direito público, incluindo direito internacional em 1967. No biénio 1962-1963, foi presidente da Assembleia Geral da Associação de Estudantes da faculdade de direito.

Como professor de direito na Universidade de Lisboa desde 1970, Freitas do Amaral esteve cinco mandatos à frente do Comitê Científico da faculdade. Ele publicou vários livros e artigos sobre direito público, ciência política e história do pensamento político.

*Entrevista conduzida por Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud