Unicef: 2 milhões de crianças estão fora da escola no Iêmen
BR

26 setembro 2019

Segundo Fundo das Nações Unidas para a Infância, outras 3,7 milhões correm risco de serem forçadas a sair da escola por falta de salário dos professores; em Nova Iorque, evento marcou os 30 anos da adoção da Convenção sobre os Direitos da Criança.
 

O conflito no Iêmen, que começou em 2015, arrasou o sistema educacional do país, que já era frágil. O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, diz que os combates inviabilizaram uma em cada cinco escolas no Iêmen.

Segundo o Unicef, o novo ano letivo, prestes a começar, terá 2 milhões a menos de crianças. Deste total, 500 mil alunos desistiram de ir às aulas, desde 2015, por causa da violência.

Professores

Crianças no campo Al-Meshqafah no Iêmen, Foto: Unicef/Saleh Baholis

E a falta de pagamento dos professores ameaça a permanência de outros 3,7 milhões de crianças iemenitas. Muitos docentes estão sem salário há mais de dois anos.  

A representante do Unicef no Iêmen, Sara Beysolow Nyanti, disse que o “conflito, o subdesenvolvimento e a pobreza privaram milhões de crianças no Iêmen de seu direito à educação e de sua esperança de um futuro melhor.”

Ela citou a “violência, o deslocamento e os ataques às escolas” como algumas das causas.

Convenção

A chefe do Unicef no país lembrou que se passaram 30 anos desde a ratificação da Convenção sobre os Direitos da Criança. Para ela, “é inaceitável que a educação e outros direitos fundamentais infantis estejam fora do alcance das crianças no Iêmen, tudo por causa de fatores causados ​​por mãos humanas."

O Unicef lembra que crianças fora da escola enfrentam inúmeros riscos de exploração, abuso e outras violações.

A agência destaca que, junto com parceiros, está trabalhando no Iêmen para que os alunos possam ter seu direito à educação. No último letivo, o Unicef pagou incentivos atrasados para mais de 127 mil professores e funcionários de escolas. Com o dinheiro, eles financiaram gastos com transporte para a escola e outras despesas básicas.

O Unicef recuperou mais de 1,3 mil escolas desde 2015 e continua a fornecer material de ensino para crianças.

Convenção

Nesta quarta-feira, dia 25 de setembro, um evento especial em Nova Iorque marcou os 30 anos da adoção da Convenção sobre os Direitos da Criança.

Os avanços obtidos com o tratado foram comemorados por defensores dos direitos infantis e autoridades, que pediram maiores esforços para ouvir as crianças e os jovens do mundo e agir em relação aos seus anseios por mudança.

A Convenção sobre os Direitos da Criança é o tratado de direitos humanos mais ratificado na história.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

ONU avisa que “não há tempo a perder” no Iêmen

Depois de ataques a estruturas petrolíferas sauditas no fim-de-semana, Conselho de Segurança discutiu situação no país; enviado especial e subsecretário-geral das Nações Unidas para os Assuntos Humanitários participaram no encontro.