Secretário-geral da ONU diz que líderes internacionais têm que colocar as pessoas no centro de suas políticas
BR

18 setembro 2019

Em entrevista coletiva, Guterres diz que cooperação é mais necessária que nunca; ação e ambição são palavras-chave nessa Assembleia.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou que o mundo está vivendo momentos críticos em várias frentes.

Em entrevista a jornalistas, às vésperas da abertura do debate de líderes internacionais na Assembleia Geral, Guterres destacou emergência climática, aumento da desigualdade, da intolerância e do ódio como alguns dos desafios atuais.

Cooperação Internacional

Além disso, preocupam o líder das Nações Unidas o aumento de tensões em todas as partes e um número alarmante de ameaças à paz e à segurança. Para ele, a cooperação internacional é mais necessária que nunca. E além de discursos, é preciso demonstrar às pessoas que líderes e instituições internacionais se preocupam com elas. 

Há alguns meses, ao se referir à reunião de alto nível sobre o Clima, o secretário-geral pediu que os chefes de Estado e Governo trouxessem para a ONU planos em vez de discursos.

Para Guterres, existem duas palavras-chave: ação e ambição. Segundo ele, a ONU deve ser apresentada como um centro de soluções e um motor para mudanças positivas e significativas na vida das pessoas.

ONU News/Daniel Dickinson
Guterres foi direto ao dizer que o mundo já está perdendo a luta contra a mudança climática.

Mudança Climática

Guterres foi direto ao dizer que não há mais tempo a perder. E que o mundo já está perdendo a luta contra a mudança climática. Ao fazer um balanço sobre os avanços da implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, o secretário-geral disse que o mundo está "fora dos trilhos" para alcançar os ODSs.

O chefe da ONU vê as duas semanas de debate geral como uma oportunidade de aliviar as tensões, especialmente na região do Golfo. Ele citou ainda a importância da promoção do diálogo e da construção de soluções políticas para a Líbia e para o Iêmen, desde a questão da Síria até à situação israelense-palestina, do Afeganistão ao Sudão do Sul. 

António Guterres afirma que com a chegada de um alto número de líderes mundiais à ONU, existe uma chance de se avançar com a diplomacia para a paz.

Ele disse que o foco para as reuniões da próxima semana será o desenvolvimento inclusivo e sustentável, sem deixar ninguém para trás.

O chefe da ONU disse que temas como mudança climática, que ameaça a tudo e a todos, estarão na mira dos holofotes da Assembleia Geral.

Foto ONU/ Mark Garten
Aquecimento do Ártico está a impulsionar muitas das mudanças em curso na região, incluindo a perda de gelo marinho e alterações nos ecossistemas terrestres e marinhos.

Eventos sobre Clima

Os eventos começam no sábado, 21 de setembro, com a Cúpula da Juventude sobre o Clima. Na segunda, 23, será a vez de líderes internacionais se reunirem sobre o tema no Encontro de Cúpula sobre o Clima.

Guterres falou da devastação que presenciou durante sua visita às Bahamas, no fim de semana, após a passagem do furacão Dorian.  Segundo ele, temperaturas extremas vão causar mais e mais eventos desta natureza.

Ele disse esperar que a reunião de alto nível produza um grande número de planos para reduzir, dramaticamente, a quantidade de emissões de dióxido de carbono durante a próxima década. O plano da ONU é que o mundo atinja a neutralidade de carbono até 2050.

Foto ONU/Eskinder Debebe
Abertura da 74º Assembleia Geral da ONU.

Prioridades

Nesta nova sessão da Assembleia, o líder da ONU esperar iniciativas para que o mundo abandone a produção de carvão como fonte de energia e acabe com subsídios a combustíveis fósseis, cortando a poluição que prejudica a saúde.

Guterres destacou a importância de se aumentar o número de soluções verdes, de construção da resiliência e a mobilização de financiamento e de trabalhos decentes para fazer a transição adequada para uma economia de matrizes limpas. Ele afirma que a ONU já está fazendo sua parte.

Nesta quarta-feira, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, anunciou a Promessa do Clima, uma iniciativa para impulsionar o apoio a 100 países com suas ações nacionais com base no Acordo de Paris sobre Mudança Climática, até 2020.

Foto: UnicefEthiopia/2018/Mersha
A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável enfatiza a necessidade de “não deixar ninguém para trás”.

Empregabilidade

Ainda nesta quarta-feira, ele a Organização Internacional do Trabalho, OIT, com o apoio de Espanha e Peru lança a Ação Climática para Empregos. A proposta é priorizar a criação de empregos e a proteção da subsistência nos planos nacionais sobre o clima.

O líder da ONU lembrou que cerca de 1,2 bilhão de pessoas, ou 40% do emprego mundial, dependem de um ambiente estável e saudável.

Ele disse que a todos têm uma contribuição a dar: governos, setor privado e cidadãos em todas as partes.

Agenda 2030

Na terça-feira, a ONU lançará a Década de Ação para entrega de resultados da Agenda 2030.

Para Guterres, o caminho a seguir não é aquele visto sob o prisma da economia da década passada, mas a economia do próximo decênio baseada no potencial da Quarta Revolução Industrial.

Ele concluiu destacando outros eventos de alto nível como um sobre cobertura universal de saúde, o de desafios enfrentados por pequenos Estados-ilha e o de financiamento para o desenvolvimento para se alcançar a Agenda 2030, além de vários encontros sobre paz e segurança.

ONU Viena/Nikoleta Haffar
Guterres e a jovem ativista Greta Thunberg na sede da ONU em Viena,

Juventude

Guterres disse que tem uma mensagem simples aos líderes internacionais: priorizem as pessoas, suas demandas, suas aspirações e seus direitos.

As pessoas querem soluções, compromissos e ações de seus governantes. E para ele, esta mensagem vai ser ouvida, logo no sábado, quando a juventude assumir o microfone na ONU.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Os cinco grandes encontros da Assembleia Geral da ONU

A partir desta terça-feira inicia a 74º Assembleia Geral da ONU; as atenções do mundo se voltam para Nova Iorque entre 23 e 30 de setembro para os líderes mundiais que participam do debate geral do órgão.

Secretário-geral pede “contenção máxima” depois de ataques na Arábia Saudita 

Incidente pode reduzir 5% da oferta mundial de petróleo bruto; enviado especial da ONU para o Iêmen descreveu a escalada militar como "extremamente preocupante".