Em Dia Internacional da Democracia, Guterres diz que “confiança é baixa e a ansiedade é alta”

15 setembro 2019

Secretário-geral afirmou que “pessoas estão frustradas com as crescentes desigualdades e abaladas por mudanças radicais”; tema do dia esse ano é participação.

O secretário-geral, António Guterres, disse que o mundo vive “um período em que a confiança é baixa e a ansiedade é alta.”

Em mensagem de vídeo sobre o Dia Internacional da Democracia, marcado este domingo, o chefe da ONU afirmou que “as pessoas estão frustradas com as crescentes desigualdades e abaladas por mudanças radicais da globalização e da tecnologia.”

Apelo

Segundo Guterres, as pessoas também “veem conflitos que não são resolvidos, uma emergência climática sem resposta, injustiças não abordadas e o espaço cívico reduzido.”

O secretário-geral usou a data para pedir a todos os governos que respeitem “o direito à participação ativa, substantiva e significativa.” Ele também saudou todas as pessoas que “se esforçam incansavelmente para fazer que assim aconteça.”

Para Guterres, “a democracia tem a ver com pessoas”. Ela “é construída com base na inclusão, na igualdade de tratamento e na participação” e “é um alicerce fundamental para a paz, o desenvolvimento sustentável e os direitos humanos.”

O secretário-geral diz que “esses valores e aspirações não podem ser considerados como medidas simbólicas ou para fazer discursos.” Segundo ele, “devem ser reais na vida das pessoas.”

Participação

O tema do Dia Internacional da Democracia desse ano é participação e uma oportunidade para lembrar que a democracia é sobre pessoas.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos afirma que "a vontade do povo será a base da autoridade do governo". Este artigo inspirou a constituição de países em todo o mundo e contribuiu para a aceitação global dos valores e princípios democráticos.

Segundo a ONU, a “verdadeira democracia é um caminho de dois sentidos, construída sobre um diálogo constante entre a sociedade civil e a classe política.” A organização diz que “esse diálogo deve ter influência real nas decisões políticas.”

Apesar disso, a organização afirma que é cada vez mais difícil atuar como ativista, defensores de direitos humanos e parlamentares estão sob ataque, mulheres permanecem muito sub-representadas e jornalistas sofrem interferências e, em alguns casos, violência.

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável inclui a democracia no Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 16, que reconhece os vínculos indivisíveis entre sociedades pacíficas e instituições efetivas, responsáveis ​​e inclusivas.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

20 anos após referendo, secretário-geral elogia “progresso inspirador” de Timor-Leste

Povo timorense decidiu ser independente da Indonésia há duas décadas, em consulta organizada pelas Nações Unidas; António Guterres diz que país é hoje “uma democracia pujante, onde os direitos humanos, as liberdades fundamentais e a alternância democrática são respeitados.”