Mudança climática é “uma das ameaças à saúde mais urgentes do mundo”
BR

11 setembro 2019

OMS definiu dois compromissos para serem assumidos pelos países no Encontro de Cúpula de Ação Climática; obrigações preveem que o ar atenda aos padrões de segurança até 2030 e o alinhamento da mudança do clima a políticas de poluição do ar.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, OMS, fez um apelo urgente aos líderes mundiais em prol da proteção do setor da saúde das alterações climáticas.

Falando esta quarta-feira em Genebra, Tedros Ghebreyesus destacou que a mudança climática é uma das questões decisivas para o nosso tempo, mas também “uma das ameaças à saúde mais urgentes do mundo”.

Apelo é para aqueles que ainda não se comprometeram se unam aos que prometeram realizar ações para proteger as pessoas de ondas de calor, inundações e ciclones relacionados às mudanças climáticas. Foto: Reprodução/OMM

Atenção

O chefe da OMS destacou os compromissos concretos que os governos se preparam para assumir para enfrentar o fenômeno, garantir e melhorar a saúde e o bem-estar de seus cidadãos. Ele chamou a atenção para o Encontro de Cúpula de Ação Climática que está previsto para 23 de setembro na Assembleia Geral.

A agência definiu os compromissos para garantir que o ar atenda aos padrões de segurança da OMS até 2030, no máximo, para que as mudanças climáticas e as políticas de poluição do ar estejam alinhadas. Para Tedros, várias práticas que levam à mudança climática também resultam na poluição do ar que pode ser fatal.

O segundo compromisso prevê que recursos financeiros estejam ao dispor para proteger as pessoas dos impactos negativos das mudanças climáticas na saúde. De acordo com a agência, menos de 0,5% do financiamento internacional para mudanças climáticas é alocado à saúde.

O chefe da OMS disse que os países mais vulneráveis, particularmente os pequenos Estados insulares em desenvolvimento, recebem apenas uma fração do valor, daí a necessidade de mais para proteger as pessoas dos danos da crise climática.

Unicef/Pirozzi.
Menino de 11 anos no Uzbequistão refresca-se da onda de calor.

Ondas de Calor

O apelo feito menos de duas semanas antes da assinatura desses compromissos é para aqueles que ainda não se comprometeram se unam aos que prometeram realizar ações para proteger as pessoas de ondas de calor, inundações e ciclones relacionados às mudanças climáticas e reduzir o risco de desnutrição, malária, diarreia e estresse por calor.”

O Encontro de Cúpula de Ação Climática ocorre no mesmo dia em que será realizada a Reunião de Alto Nível da ONU sobre C. Para o chefe da OMS, é significativo que esses eventos aconteçam em paralelo.

As prioridades da saúde pública global são tomar medidas para lidar e mitigar os impactos das mudanças climáticas, além de garantir que “todos possam ter acesso aos serviços de saúde de que precisam, quando e onde precisam”.

Para Tedros Ghebreyesus, somente com serviços de saúde para todos, incluindo os que enfrentam maior risco de mudança climática, os países alcançarão os objetivos de promover a saúde, manter o mundo seguro e proteger os vulneráveis.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Bachelet alerta que incêndios na Amazônia "podem ter um impacto catastrófico"

Alta Comissária para os Direitos Humanos defende que total de mortes e danos causados na Bolívia, no Paraguai e no Brasil “nunca poderão ser conhecidos”; no Conselho de Direitos Humanos,  representante apresentou  pontos-chave sobre  ação climática.

Secretário-geral alerta para “dramática emergência climática” em encontro do G7

António Guterres está em Biarritz, na França, para participar na reunião anual das sete maiores economias mundiais; para o chefe da ONU, é preciso “mais ambição e um compromisso mais forte.”