ONU estima que Brexit sem acordo custaria cerca de US$ 16 bilhões ao Reino Unido
BR

5 setembro 2019

Perdas seriam muito maiores devido a medidas não-tarifárias, ao controle de fronteira e consequente interrupção de redes de produção; Unctad alerta para prejuízos sem acordos ajustados com países do Mercosul, incluindo o Brasil.

A ONU estima que uma saída da Grã-Bretanha da União Europeia sem um acordo custaria pelo menos US$ 16 bilhões em comércio com o bloco, e provavelmente muito mais após serem contabilizados os efeitos indiretos e outros mercados.

A estimativa consta em um relatório da Conferência das Nações Unidas sobre o Comércio e Desenvolvimento, Unctad, que prevê perdas de cerca de 7%  em relação às atuais exportações globais do Reino Unido para a UE.

Como membro da União Europeia, o Reino Unido faz parte de cerca de 40 acordos comerciais que asseguram um acesso preferencial a um mercado em cerca de 70 países., by ONU News/Omar Musni

Consideração

Estes valores incluem uma estimativa de US$ 5 bilhões em exportações de veículos a motor,  US$ 2 bilhões em produtos de origem animal e outros US$ 2 bilhões em vestuário e têxteis.

Para a Unctad, esse total ainda é modesto e somente leva em consideração um aumento das tarifas da UE de zero para a taxa básica de “nação mais favorecida”, que é oferecida aos países sem acordos preferenciais com o bloco.

A agência da ONU destaca que essas  perdas seriam muito maiores por causa de medidas não-tarifárias, das medidas de controle de fronteira e da interrupção das redes de produção existentes entre o Reino Unido e o bloco europeu.

Para a Unctad,  20% das exportações da Grã-Bretanha correm o risco de sofrer com tarifas mais altas em mercados como Turquia, África do Sul, Canadá e México. Estes países têm acordos comerciais preferenciais com a UE, mas ainda não concordaram em aplicar esses benefícios aos britânicos.

Alimentos

O documento destaca que se a Grã-Bretanha não conseguir fechar esses acordos antes de sair da UE, perderia mais US$ 2 bilhões em exportações. A razão seria o aumento de taxas para automóveis, alimentos processados, roupas e têxteis, com uma perda de US$ 750 milhões em exportações de veículos.

Como membro da União Europeia, o Reino Unido faz parte de cerca de 40 acordos comerciais que asseguram  um acesso preferencial a um mercado em cerca de 70 países.

Além da questão dos atuais acordos da UE, a Unctad aponta como outra razão de preocupação para os exportadores do Reino Unido os atuais pactos comerciais que vêm sendo negociados entre o bloco europeu e outras nações.

A UE  celebra acordos comerciais com importantes parceiros, como o Vietnã e os países do Mercado Comum do Sul, Mercosul, integrando pela Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

Se estes acordos forem implementados nesses mercados sem que haja pactos equivalentes com o Reino Unido, a competitividade das empresas britânicas poderá ser prejudicada em relação às concorrentes do bloco europeu.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud