Guterres vê em África “oportunidades onde os ventos da esperança estão cada vez mais fortes”

O secretário-geral da ONU, António Guterres, discursa na 7ª Conferência Internacional de Tóquio sobre o Desenvolvimento Africano em Yokohama, no Japão, em 29 de agosto de 2019.
ONU Japão/Ichiro Mae.
O secretário-geral da ONU, António Guterres, discursa na 7ª Conferência Internacional de Tóquio sobre o Desenvolvimento Africano em Yokohama, no Japão, em 29 de agosto de 2019.

Guterres vê em África “oportunidades onde os ventos da esperança estão cada vez mais fortes”

ODS

Em conferência no Japão, secretário-geral pede mais parcerias para esforços de paz e desenvolvimento do continente; maior evento realizado no país asiático reúne mais de 4,5 mil participantes na cidade de Yokohama.

A cidade japonesa de Yokohama recebe mais de 4,5 mil participantes na 7ª. Conferência Internacional de Tóquio para o Desenvolvimento Africano, Ticad7, organizada pelo Governo do Japão e apoiada pelas Nações Unidas.

Falando esta quarta-feira no evento, o secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que “África é um continente dinâmico de oportunidades onde os ventos da esperança estão cada vez mais fortes”.

Guterres com Shinzo Abe, primeiro-ministro do Japão, à margem da 7ª Conferência Internacional de Tóquio sobre o Desenvolvimento Africano em Yokohama, Japão.
Guterres com Shinzo Abe, primeiro-ministro do Japão, à margem da 7ª Conferência Internacional de Tóquio sobre o Desenvolvimento Africano em Yokohama, Japão. Foto: ONU Japão/Ichiro Mae

Parceria

A maior conferência internacional que é realizada em território japonês tem o lema “Promoção do desenvolvimento da África por meio de pessoas, tecnologia e inovação”.

Entre os participantes estão chefes de Estado e de governo, representantes de organizações internacionais, da sociedade civil e do setor privado.

Para Guterres,  uma das suas metas é pedir à comunidade internacional que aumente a parceria com a África para os seus esforços de paz e desenvolvimento sustentável.

O chefe da ONU considera imperativo que se trabalhe em conjunto para fechar o fosso digital e sejam aproveitados os avanços tecnológicos para permitir a prosperidade de nações e economias africanas.

Emergência

Guterres lembrou que o futuro sustentável da região africana também depende dos esforços coletivos para enfrentar a crescente emergência climática e  lembrou que organiza o Encontro de Cúpula da ONU sobre Ação Climática em setembro, em Nova Iorque.

O secretário-geral sublinhou que apesar de terem uma contribuição mínima para a mudança climática, os países africanos estão na linha de frente nas consequências dramáticas do fenómeno.

O pedido feito aos líderes de governos, às empresas e à sociedade civil é que façam anúncios ambiciosos no evento “para ajudar a superar esse desafio existencial”.

Guterres destacou ainda que a comunidade internacional deve entender que o potencial da África também depende da paz e estabilidade.

Conflitos

Apesar de haver perspetivas promissoras de paz a longo prazo para o continente, Guterres apontou os conflitos armados e o extremismo violento como “um obstáculo significativo para o desenvolvimento sustentável regional”.

 O secretário-geral afirmou que as questões complexas que devem merecer atenção especial são “os vínculos entre paz e segurança, desenvolvimento, boa governação, inclusão e construção de resiliência às mudanças climáticas”.