Análise da estabilidade financeira global melhora previsão de futuras crises

27 agosto 2019

Estudo do FMI menciona que em 2008, muitos perguntaram porque a crise financeira não tinha sido prevista; instituição apresenta nova abordagem que permite analisar riscos e decidir se é provável uma nova crise.

Em novembro de 2008, durante uma visita à London School of Economics, a rainha Elizabeth II disse que a crise financeira era "horrível” e perguntou “por que ninguém viu isso acontecer?”

Dez anos depois, o Fundo Monetário Internacional, FMI, diz que “continua difícil prever instabilidade financeira”, mas que “existem progressos para melhorar o entendimento de ligações importantes entre o setor financeiro e a economia.”

Abordagem

Sede do FMI em Washington, nos Estados Unidos, IMF/Henrik Gschwindt de Gyor

Em um novo documento, o FMI afirma que “agora entende melhor como as vulnerabilidades financeiras podem amplificar choques negativos e prejudicar a produção e o emprego.”

Duas vezes por ano, a organização apresenta uma análise dos riscos globais de estabilidade financeira no Relatório Global de Estabilidade Financeira.

No documento mais recente, os especialistas Tobias Adrian, Dong He, Nellie Liang e Fabio Natalucci dizem que “a abordagem atual envolve uma avaliação sistemática de vulnerabilidades financeiras para empresas, mercados financeiros e governos.”

Além disso, inclui “um resumo da medida de risco de estabilidade financeira em termos de previsão de crescimento do PIB, dependendo das condições financeiras.”

Segundo eles, “a abordagem aumenta a transparência e oferece um caminho para uma melhor comunicação entre reguladores financeiros e bancos centrais e, finalmente, na formulação de políticas.”

Previsão

A estrutura de avaliação permite recolher mais e melhores indicadores que podem ser usados ​​para estimar o risco de crescimento para a economia das regiões e países globais.

A nova estrutura também apoia a implementação de políticas para mitigar riscos de instabilidade financeira.

Resposta

Os especialistas do FMI dizem que, se a rainha tivesse feito a sua pergunta sobre a crise em 2019, eles conseguiriam responder que “se as vulnerabilidades identificadas não fossem corrigidas, seria provável uma grave crise financeira, mesmo que não conseguissem dizer quando isso poderia acontecer.”

Para o futuro, eles acreditam que a abordagem “formaliza avaliações sistemáticas regulares dos riscos e fornece uma estimativa desses riscos para o crescimento.”

Segundo o FMI, isso “permite que os riscos sejam tidos em conta pelas estruturas de tomada de decisão da política monetária e regulatória, e não apenas de forma intermitente quando os riscos financeiros já são muito altos.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud