Nova escalada da violência pode ter impacto sobre 3 milhões de civis na Síria
BR

21 agosto 2019

Alerta das Nações Unidas foi feito na sequência de receios de uma ofensiva mais profunda em Idlib; agências de notícias anunciaram a tomada da cidade estratégica de Khan Sheikhoun na terça-feira, após cerco das forças do governo.

 

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse estar profundamente preocupado com a persistente escalada da violência no noroeste da Síria e com a perspectiva de uma ofensiva ainda maior na cidade de Idlib.

Violência na Síria deixou 134 crianças mortas e mais de 125 mil deslocadas desde o início do ano. Foto: ONU Síria/Fadwa Baroud AbedRabou

Para António Guterres essa situação poderia desencadear uma nova onda de sofrimento humano, com possível impacto sobre até 3 milhões de civis.

Poder

Agências de notícias informaram esta terça-feira que forças da oposição síria se retiraram da cidade estratégica de Khan Sheikhoun após um cerco feito pelas forças do governo, na área que há cinco anos era controlada pelos rebeldes.

Guterres condena com veemência os contínuos ataques a populações e infraestruturas civis, incluindo instalações de saúde e educação. A nota apela a todas as partes que respeitem totalmente o direito internacional humanitário.

O secretário-geral reitera ainda o apelo urgente para que o Memorando de Entendimento de setembro de 2018 sobre Idlib seja mantido.

Processo Político

Para o chefe da ONU é importante avançar com o processo político facilitado pela organização em Genebra, conforme a resolução 2254 do Conselho de Segurança.

O órgão realizou uma sessão na terça-feira, na qual as Nações Unidas anunciaram que o enviado especial Geir Pedersen prossegue os esforços para concluir os arranjos para o lançamento do Comitê Constitucional.

Esta medida deve abrir espaço para um processo político mais amplo facilitado pela ONU e para que sejam implementadas medidas de fortalecimento da confiança entre as partes, incluindo sobre os detidos.

A preocupação da organização é que as hostilidades em curso no noroeste possam pôr em risco os esforços do enviado especial para reativar o processo político.

Unicef/Delil Soleiman
Acampamento de Al Hol, na Síria, abriga atualmente mais de 70 mil pessoas que enfrentam condições de vida precárias.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Síria: “número de civis que morrem aumenta a cada dia” em Idlib e Hama

Escritório humanitário regional reage a morte de funcionários de equipes humanitárias e de resgate na quarta-feira; Nações Unidas documentaram cerca de 500 civis mortos em ataques aéreos ocorridos em três meses e meio.

Agências humanitárias lamentam “colapso” de trégua que ameaça vida de milhões de sírios

Nova onda de violência ameaça civis na área de Idlib, no noroeste do país; mais de 500 pessoas morreram e centenas ficaram feridas desde o início dos combates no final de abril.