Unicef pede US$ 70 milhões para ajudar 900 mil crianças venezuelanas

20 agosto 2019

No total, cerca de 3,2 milhões de menores do país precisam de ajuda humanitária; diretora executiva da agência da ONU diz que as condições continuam a piorar em toda a Venezuela.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, pediu esta terça-feira mais de US$ 70 milhões para fornecer assistência humanitária a 900 mil crianças na Venezuela até ao final do ano.

Segundo a agência, novos financiamentos nas próximas semanas são essenciais para que as Nações Unidas e seus parceiros respondam às necessidades humanitárias de crianças e famílias dentro do país.

Necessidades

Em nota, a diretora executiva do Unicef disse que “cerca de 3,2 milhões de crianças na Venezuela precisam de ajuda humanitária, pois as condições em todo o país continuam a se deteriorar.”

Henrietta Fore informou que a agência está “aumentando o trabalho para ajudar crianças e famílias que estão lutando contra a escassez de alimentos e acesso limitado a serviços essenciais como saúde, água potável e educação.”

Pelo menos 4,3 milhões de pessoas em toda a Venezuela não têm acesso a água potável segura. Além disso, doenças evitáveis ​​por vacinação, como o sarampo e a difteria, ressurgiram desde o início da crise. Ao mesmo tempo, os casos de febre amarela e malária estão aumentando.

No total, a ONU estima que 1,3 milhão de crianças e adolescentes precisem de serviços de proteção. Mais de 1 milhão de crianças estão fora da escola.

Prioridades

O financiamento deve servir para cumprir as metas do Plano de Resposta Humanitária 2019 para a Venezuela, lançado pelas Nações Unidas e seus parceiros no início do ano.

Entre as prioridades do plano, estão acesso a água potável segura para 800 mil pessoas, a vacinação contra o sarampo de mais de 1,2 milhão de crianças menores de 5 anos e o tratamento de 7 mil crianças com menos de cinco anos que sofrem de subnutrição grave ou moderada.

A agência também pretende distribuir material educativo para 680 mil crianças entre os quatro e os 18 anos, prestar apoio psicossocial e de proteção a 216 mil crianças e fornecer assistência médica para mais de 170 mil mulheres grávidas e recém-nascidos.

Apoio

No último ano, o Unicef diz que “aumentou de forma constante” o apoio prestado no país, para “responder às necessidades crescentes das crianças mais vulneráveis.”

Desde 2018, a agência enviou cerca de 200 toneladas de materiais básicos de saúde, nutrição, educação, água e saneamento.

Em 2019, o Unicef e seus parceiros já ajudaram mais de 180 mil pessoas a ter acesso a água potável, forneceram materiais didáticos a mais de 60 mil crianças e distribuíram suplementos de micronutrientes para 76 mil crianças com menos de cinco anos, grávidas e mulheres que amamentam.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Chefe do Acnur encerra visita ao Brasil com apelo para mais ajuda aos venezuelanos

Filippo Grandi disse que impacto de refugiados e migrantes da Venezuela sobre comunidades anfitriãs tem sido avassalador em estados como Roraima e Amazonas; mais de 180 mil venezuelanos recebem abrigo em território brasileiro.