ONU contribui para apoiar parte dos 2,3 milhões de afetados pela seca em Angola
BR

19 agosto 2019

Doação de bens será feita na província do Cunene, uma das quatro que enfrentam a emergência da seca; Unicef revela que situação afeta cerca de 491 mil crianças com menos de cinco anos.

A província angolana do Cunene recebeu toneladas de bens para apoiar programas em prol das populações vítimas da seca. A doação será feita nesta terça-feira pelo representante em Angola do Fundo da ONU para a Infância, Unicef, Abubacar Sultan.

A entrega faz parte de uma iniciativa para responder à emergência que ocorre nas províncias de Huíla, Bié e Namibe. A seca afeta mais de 2,3 milhões de pessoas, incluindo 491 mil crianças com menos de cinco anos.

Resposta

O Unicef aponta que os bens de auxílio no valor de US$ 160 mil foram adquiridos com valores do Fundo Central para Resposta às Emergências das Nações Unidas, Cerf.

Os produtos serão usados em programas de reabilitação nutricional de crianças, água e saneamento e "kits de dignidade" para mulheres.

Este ano, o Unicef e o Governo da Província do Cunene formalizaram uma iniciativa para atuação de emergência em setores como água, saneamento, higiene, nutrição, mobilização social e mudança de comportamento.

O programa também envolve a entrega de recursos materiais, tecnológicos e capital humano “necessários para uma gestão eficiente e implementação adequada das atividades no terreno”.

© Unicef Angola/Carlos Louzada
Em Angola, a seca afeta mais de 2,3 milhões de pessoas, incluindo 491 mil crianças com menos de cinco anos.

Programa de Desenvolvimento

O Unicef também prevê atuar em ações de desenvolvimento para reforçar o sistema de proteção da criança na província, o registo de nascimento, o desenvolvimento da primeira infância, a educação, a saúde e a capacitação.

Nas atividades de formação deverão ser envolvidos participantes de diferentes sectores para a oferta de serviços básicos às famílias e crianças. 

Abordagem “Porto seguro”

Nesta segunda-feira foi assinada uma parceria de US$ 2 milhões que prevê a implementação da abordagem “Porto Seguro” no município de Ombadja. O programa envolve o Governo da Província de Cunene, o Banco de Fomento de Angola e o Unicef.

Várias escolas e outras infraestruturas sociais angolanas servirão de plataformas para o acesso a água, nutrição e fornecimento de serviços sociais básicos como a educação, desenvolvimento da primeira infância, saúde, registo e proteção.

A meta é promover “a complementaridade, integração e sinergias entre serviços do governo e os seus parceiros para maximizar o uso de recursos para fortalecer a resiliência e alcançar melhores resultados no imediato e a longo prazo para as crianças mais vulneráveis.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Acnur e parceiros dão apoio mental a refugiados em Angola

Cerca de 35 mil pessoas da República Democrática do Congo vivem na província do Lunda Norte; serviços incluem apoio psicossocial a vítimas de violência sexual e de género.

O poder de rainhas e guerreiras que Angola trouxe para reflexão sobre igualdade de género

Assembleia Geral convidou primeira-dama angolana para 2ª reunião do Grupo de Mulheres Líderes pela Igualdade do Género; representante destacou educação  como factor principal de desenvolvimento e paridade.