Em Moçambique, ONU apoia iniciativa para acelerar construção resiliente após ciclones

15 agosto 2019

Projeto de cinco anos será implementado com US$ 72 milhões; cerca de 285 mil casas foram destruídas após a passagem de duas tempestades tropicais fortes pelo país na mesma estação.

Moçambique terá uma agência de recuperação que acelerará a reconstrução resiliente após os danos causados este ano pelos ciclones Idai e Kenneth. Cerca de US$ 72 milhões serão aplicados num fundo para executar a iniciativa entre 2019 e 2024.

O Projeto do Mecanismo de Recuperação foi assinado na quarta-feira, em Maputo, pelas Nações Unidas e pelo Governo de Moçambique representado pelo ministro das Obras Públicas e Habitação, João Machatine.

Tecido Humano

“Nós queremos, de imediato, criar condições para que as populações que ficaram afetadas possam rapidamente recuperar-se. Porque tudo o resto só será possível com a força humana em condições de o fazer. Portanto, ao falar em infraestruturas sem olhar para a componente social estaríamos a colocar a carroça à frente dos bois. Então, queremos apostar numa primeira fazer em recuperar o tecido humano.”

Assinatura do Programa de Recuperação de áreas afetadas pelo ciclone em Moçambique., by Pnud/Emídio Josine

O representante interino do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Alfredo Teixeira disse que a formalização deste projeto revela o compromisso de apoio da comunidade internacional ao Gabinete de Reconstrução Pós Ciclone Idai.

Cerca de 239 mil casas foram destruídas em março pelo ciclone Idai e outras 44,9 mil pelo Kenneth que passou pelo país seis semanas depois. Foi a primeira vez desde que há registo que dois ciclones tropicais fortes atingiram Moçambique na mesma estação.

“Este Mecanismo de Recuperação possui três pilares principais, que são o fortalecimento institucional do Gabinete de Reconstrução Pós Ciclone Idai, habitação e infraestruturas comunitárias e meios de subsistência e empoderamento económico das mulheres, e prestará atenção particular às mulheres e à grupos vulneráveis.”

Estação de Ciclones

Doadores internacionais prometeram contribuir com US$ 1,3 bilhão dos US $ 3,2 bilhões pedidos pelo governo moçambicano para a reconstrução das áreas afetadas.

O representante do Pnud reiterou que este acordo é apenas um primeiro passo nesse processo,  porque Moçambique e o seu povo precisam e clamam por uma agenda de ação para a implementar  programa e  deresultados concretos, para resiliência do país e para o seu desenvolvimento sustentável.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

ONU elogia acordo que traz “esperança para uma paz duradoura” em Moçambique

Chefe de Estado Filipe Nyusi assinou o Acordo de Paz e Reconciliação em Maputo com líder do partido Renamo, Ossufo Momade; presidente da Assembleia Geral revela expectativa por desenvolvimento do país; enviado do secretário-geral declara que entendimento será bem-sucedido. *

Representantes do projeto Além do Algodão visitam agricultores de Moçambique

Projeto do Centro de Excelência contra a Fome da ONU e da Agência Brasileira de Cooperação buscam fortalecer cadeia do algodão em quatro países africanos; representantes visitam escolas e agricultores familiares das províncias de Tete e Manica.