ONU condena ataque mortal na Líbia
BR

11 agosto 2019

De acordo com nota emitida pelo porta-voz de António Guterres, três funcionários das Nações Unidas foram mortos no atentado com carro-bomba e outros três estão entre os feridos; Conselho se Segurança realizou reunião de emergência após o ato.

Em nota emitida pelo seu porta-voz, o secretário-geral condenou nos termos mais fortes o ataque com carro-bomba ocorrido neste sábado em Bengazi, na Líbia.  
 
Três funcionários das Nações Unidas foram mortos no atentado e outros três estão entre os feridos. 

apela às autoridades líbias para que não poupem esforços para identificar e levar rapidamente à justiça os autores deste ataque., by Tass/ ONU DCG

Trégua 

 
António Guterres estendeu suas mais profundas condolências às famílias das vítimas e desejou uma recuperação rápida a todos os feridos. Ele apela às autoridades líbias para que não poupem esforços para identificar e levar rapidamente à justiça os autores deste ataque. 
 
O secretário-geral pede que todas as partes respeitem a trégua humanitária durante o Eid al-Adha e retornem à mesa de negociações “para procurar o futuro pacífico que o povo da Líbia merece”. 

Conselho de Segurança 
 

Neste sábado, o Conselho de Segurança também condenou o ataque em uma sessão de emergência convocada pela Polônia e pela França. 
 
Na abertura de sessão, a secretária-geral assistente da  ONU  para  África disse que  o “ataque  horrível aconteceu num momento em que as pessoas em Benghazi se preparavam para o feriado de Eid al-Adha, em uma área supostamente sob completo controle de segurança das forças do Exército Nacional da Líbia do General Haftar.” 

Terrorismo 

 
Bintou Keita apontou que o esse ataque serve “para destacar o contínuo perigo do terrorismo em todo o país e os limites do controle efetivo de segurança no ausência de um governo e uma força militar e policial trabalhando em todo o país.”  
 
Keita acrescentou que o caso  “confirma que este último episódio de hostilidades está criando um vácuo facilmente explorado por elementos radicais que combatem no caos e na violência.” Ela enfatizou ainda que “a ONU não pretende se retirar da Líbia” e que num futuro próximo, o lugar da organização “permanece ao lado do povo líbio, como os nossos colegas corajosos que deram suas vidas hoje.”  
 

Violência Insensata

A secretária-geral assistente da ONU para África também informou o Conselho de Segurança que o primeiro-ministro Fayez al-Saraj e o general Khalifa Haftar concordaram, junto ao representante especial do secretário-geral da ONU no país, em uma trégua para o período festivo, a qual iniciará esta noite.  

Keita disse que só pode “esperar que ambos os lados respeitem genuinamente, de boa-fé, o seu comprometimento público .” Ela acrescentou que a “violência insensata e absurda precisa parar.”

Eid al-Adha 

Em nota, o representante especial do secretário-geral da Líbia também condenou o ataque e lembrou que o caso ocorre “em um momento em que os líbios estão fazendo compras em preparação para o Eid al-Adha”, resultando na morte de civis, incluindo de funcionário da ONU. 
 
Ghassan Salame apontou que o caso “serve como mais um lembrete da necessidade urgente de os líbios pararem de lutar, deixarem de lado suas diferenças e trabalharem juntos através do diálogo e não violência para acabar com o conflito na Líbia.”  
 
O representante disse ainda que o ataque “não nos desencorajará, nem nos impedirá de continuar com nossos deveres de trazer paz, estabilidade e prosperidade à Líbia e seu povo.” 
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud