Brasileira ajuda a melhorar oportunidade de jovens
BR

12 agosto 2019

12 de agosto é o Dia Internacional da Juventude  e será celebrado sob o lema Transformação na Educação; A jovem Ana Carolina, de São Paulo, cursa a graduação em Economia na Universidade de Stanford e desenvolve projetos sociais.

No dia 12 de agosto é celebrado o Dia Internacional da Juventude sob o lema Transformação na Educação. As Nações Unidas pretendem destacar os atuais esforços para que este setor seja mais inclusivo e acessível para todos os jovens.

A brasileira Ana Carolina Queiroz é fundadora da Ponciá, uma iniciativa para melhorar, conquistar e criar oportunidades de engajamento cívico para crianças e jovens do Vale do Jequitinhonha em Minas Gerais. Nas Nações Unidas,  ela faz parte da '16 x 16 ', uma iniciativa global apoiada pelo Programa da ONU para o Desenvolvimento, Pnud.

Projetos Sociais

"Eu estou aqui na sede da ONU em Nova Iorque, com a iniciativa 16 por 16, que é uma iniciativa do Pnud da juventude global que eles têm que busca basicamente trazer jovens que são lideranças em diversas partes do mundo, principalmente em países em desenvolvimento, para participar de conferências de alto nível, para poder também de certa forma informar e trazer a voz da juventude para esses espaços, que nem sempre é escutada."

As iniciativas  nacional e global são tema desta conversa com a ONU News. A jovem de São Paulo cursa a graduação em Economia na Universidade de Stanford e atualmente usa o ano sabático para desenvolver projetos sociais.

Vale do Jequitinhonha

A Ponciá capacita crianças e jovens para que possam entender e lidar com suas realidades locais, projetar e ter maior acesso a políticas públicas. O projeto atua com jovens de comunidades urbanas, rurais e quilombolas, conforme explica a jovem.

"O objetivo principal é desenvolver ferramentas que possam ser utilizadas eventualmente no Brasil todo, mas agora a gente está focando no Vale do Jequitinhonha, que ajudem as crianças e adolescentes a entenderem como elas podem acessar os seus direitos. Então, primeiro entender quais são esses direitos, mas também quais são as ferramentas, quais são os caminhos, com quem eu falo, pra onde eu vou. Então a gente buscar desenvolver isso, com uma forma de empoderar, especialmente a juventude e as crianças da área rural do Vala do Jequitinhonha que é uma área super pobre."

Ana também trabalha como estagiária de desenvolvimento no Projeto Caminhando Juntos, que atende mais de 1,5 mil crianças e adolescentes em quatro municípios brasileiros.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud