Entendimento em Moçambique é “passo adiante para a assinatura do acordo de paz definitivo na próxima semana”

2 agosto 2019

Secretário-geral da ONU reitera apoio no avanço da paz, reconciliação e desenvolvimento; Nações Unidas testemunharam assinatura de acordo que marca o fim dos confrontos entre forças do governo e braço armado do maior partido da oposição. 

O secretário-geral disse esta sexta-feira que tomou conhecimento do acordo para o fim das hostilidades em Moçambique assinado pelo presidente Filipe Jacinto Nyusi e o líder do partido Renamo da oposição, Ossufo Momade.

Através do seu porta-voz, António Guterres emitiu uma nota na sequência da assinatura do documento que formaliza o fim dos confrontos entre forças do governo e do braço armado da Renamo, na quinta-feira.

Acordo foi negociado nos últimos anos. Coordenadora residente da ONU diz esperar que documento abra caminho para paz sustentável
Acordo foi negociado nos últimos anos. Coordenadora residente da ONU diz esperar que documento abra caminho para paz sustentável. Foto: ONU Moçambique

Desenvolvimento

Falando em Nova Iorque, o porta-voz do secretário-geral, Stephane Dujarric, destacou que o ato “é um passo adiante para a assinatura do acordo de paz definitivo na próxima semana”.

A nota reitera ainda que a ONU está com o país na implementação do acordo e no avanço da paz, reconciliação e desenvolvimento em Moçambique.

A coordenadora residente das Nações Unidas em Moçambique, Myrta Kaulard, esteve na assinatura do acordo em Gorongosa, no centro de Moçambique. Em nota, a representante felicitou a assinatura do documento negociado nos últimos anos.

Myrta Kaulard elogiou “ambas as partes por honrarem seus compromissos e por abrirem caminho para uma paz duradoura e sustentável”.

Eleições

Agências de notícias informaram que o entendimento entre os dois líderes acontece na mesma semana em que iniciou o processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração dos membros da Renamo.

A Assembleia da República também aprovou um pacote legislativo de descentralização que prevê a eleição de governadores das 10 províncias nas eleições gerais de 15 de outubro. Antes, os governadores provinciais eram nomeados pelo chefe do Estado.

O governo moçambicano e a Renamo já assinaram em 1992 um Acordo Geral de Paz, que pôs fim a 16 anos de guerra civil, mas que foi violado entre 2013 e 2014 por confrontos armados entre as duas partes.

Processo de desmobilização e integração de ex-combatentes faz parte da implementação do novo Acordo de Paz
ONU Moçambique
Processo de desmobilização e integração de ex-combatentes faz parte da implementação do novo Acordo de Paz

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud