"Credibilidade do processo eleitoral é vital para presidente a ser eleito no Afeganistão"

Participação das mulheres em questões de paz e segurança “é uma das prioridades claras das Nações Unidas.”
Foto: ONU/Loey Felipe
Participação das mulheres em questões de paz e segurança “é uma das prioridades claras das Nações Unidas.”

"Credibilidade do processo eleitoral é vital para presidente a ser eleito no Afeganistão"

Assuntos da ONU

Vice-secretária-geral apelou ao Conselho de Segurança que continue empenhado em apoiar esforços para a paz, estabilidade e prosperidade no país; cerca de 9,6 milhões de eleitores devem escolher presidente na votação agendada para 28 de setembro.

A nove semanas das eleições presidenciais no Afeganistão, a vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed, disse que a credibilidade do processo é vital para que o presidente a ser eleito tenha a autoridade necessária para unir o país no processo de paz.

Falando esta sexta-feira no Conselho de Segurança, a vice-chefe da ONU destacou que “as mulheres precisam participar de forma plena, efetiva e direta” nas negociações para que a paz seja sustentável.

Oportunidade

Tweet URL

O apelo feito aos 15 Estados-membros do órgão é que estes continuem empenhados em apoiar os esforços para a paz, estabilidade e prosperidade no país que vive “um momento crucial com uma oportunidade sem precedentes para a paz”.

O informe foi apresentado uma semana após a visita de altas funcionárias da ONU, sobre a qual Mohammed disse que todos os afegãos com quem teve contato deixaram claro o desejo de uma paz imediata após décadas de conflito.

No mesmo encontro, a subsecretária-geral para os Assuntos Políticos, Rosemary DiCarlo, forneceu detalhes sobre o processo eleitoral que conta com a assistência técnica das Nações Unidas.

Segundo ela, os órgãos da Comissão Eleitoral Independente trabalham contra o relógio e “não há espaço para atrasos de natureza técnica ou política”.

Processo

Na sessão, DiCarlo considerou essencial a estreita colaboração entre todos os atores para garantir que as próximas etapas sejam concluídas assim como está previsto no calendário eleitoral. A representante reiterou ainda a importância de um processo com credibilidade e realizado em tempo útil.

A vice-secretária-geral, Amina Mohammed, visita uma exposição do Centro de Memória e Diálogo do Afeganistão em Cabul.
A vice-secretária-geral, Amina Mohammed, visita uma exposição do Centro de Memória e Diálogo do Afeganistão em Cabul., by Fardin Waezi/Unama

A comunidade internacional prometeu financiar o processo eleitoral afegão com US$ 59 milhões ao orçamento que totaliza US$ 149 milhões. O Governo do Afeganistão comprometeu-se a cobrir o processo com US$ 90 milhões.

 Pela primeira vez, decorreu a revisão da lista de eleitores de 2018, tendo sido apurado um total preliminar de 9,6 milhões de eleitores para a votação deste ano. A ONU revelou ainda que a avaliação de segurança foi concluída em 5 mil centros de votação.

DiCarlo defendeu que os preparativos para o período da campanha eleitoral também estão em implementação.

Conflito

A chefe dos Assuntos Políticos defendeu ainda que uma solução política para o conflito no Afeganistão continua sendo mais relevante do que nunca, no país onde os civis ainda suportam o peso do conflito.

De acordo com a subsecretária-geral, é demasiado frequente que estes sejam feridos ou mortos ao ser apanhados no fogo cruzado, atingidos por armas ou explosivos ou são alvos deliberados.

Em campo de desminagem em Bemyan, Amina Mohammed encontrou-se com mulheres que trabalham no local.
Fardin Waezi/Unama
Em campo de desminagem em Bemyan, Amina Mohammed encontrou-se com mulheres que trabalham no local.