Libéria passa oficialmente de país beneficiário para contribuinte de soldados da paz

25 julho 2019

Novo acordo de parceria mostra "claro impacto positivo da manutenção da paz da ONU”; 202 boinas azuis morreram no país entre 1989 e 2003; militares liberianos já operam nas missões do Mali e Sudão do Sul.

Um acordo entre a Libéria e as Nações Unidas para fornecer pessoal de paz para servir na Missão da ONU no Mali, Minusma, marca uma transição "imensamente significante" para a nação da África Ocidental.

A afirmação é do embaixador Dee-Maxwell Saah Kemayah, que assinou o acordo na sede da ONU, em Nova Iorque, com o chefe de Suporte Operacional da ONU, Atul Khare.

Mudança

Desde 1993, a Libéria foi uma nação anfitriã de capacetes azuis, em vez de um provedor de tropas de manutenção da paz. Entre 1989 e 2003, as duas guerras civis provocaram a morte de 202 soldados da paz no país.

A Libéria também recebeu a Missão de Manutenção da Paz da ONU, Unmil, entre setembro de 2003 e março de 2018. Na altura do fecho da operação de paz, o secretário-geral da organização, António Guterres, saudou a retirada total de boinas-azuis e felicitou o povo por acabar com décadas de crise e conflito

Na assinatura, a ONU também prestou homenagem ao serviço e sacrifício do boina-azul libanês Ousmane Ansu Sherif. O militar perdeu a vida em um ataque a um campo da Minusma em Timbuktu, em maio de 2017.

Importância

Durante a cerimônia de assinatura, o subsecretário-geral Khare disse que "o caminho da Libéria demonstra o impacto positivo da manutenção da paz da ONU e como um país que passou de conflito para a estabilidade é hoje um parceiro fundamental para ajudar outros países necessitados."

O embaixador Dee-Maxwell Saah Kemayah, que assumiu o cargo em setembro passado, disse que a assinatura foi "imensamente significativa, pois reforça o compromisso mutuo entre o governo da Libéria e as Nações Unidas para as iniciativas de manutenção da paz."

O representante afirmou que o acordo “aumentará a capacidade das Forças Armadas da Libéria de fornecer pessoal, equipamento e serviços de forma adequada.” O documento também deve permitir que o país esteja “melhor preparado para contribuir mais plenamente para os objetivos concertados e coletivos de manutenção da paz da Minusma."

A Libéria contribui para as forças de paz com 118 militares, dos quais 10,6% são mulheres, para a Minusma e para a Missão da ONU no Sudão do Sul, Unmiss.

Atualmente, a ONU tem 321 memorandos de entendimento ativos com 80 países.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

ONU lembra perigo para proteger civis da violência em Dia Internacional dos Boinas-azuis

Lema deste ano é “Protegendo Civis, Protegendo a Paz”; Nações Unidas destacam que manutenção da paz provou claramente ser um sólido investimento em paz, segurança e prosperidade globais.