FMI reduz para 0,8% projeção de crescimento da economia brasileira este ano
BR

24 julho 2019

Informações constam no relatório Panorama da Economia Mundial; segundo Fundo Monetário Internacional, atividade desacelerou notavelmente no início do ano em diversas economias da América Latina.

O Fundo Monetário Internacional, FMI,  reduziu para 0,8% sua projeção de crescimento para a economia brasileira este ano, frente a uma previsão de 2,1% feita em abril. As informações constam no relatório Panorama da Economia Mundial, divulgado nesta terça-feira.

O FMI aponta que a atividade desacelerou notavelmente no início do ano em diversas economias da América Latina. A região deve crescer 0,6% em 2019, uma redução de 0,8% em relação à previsão do relatório divulgado em abril. Para 2020, a projeção é de avanço de 2,3%.

O FMI também citou o caso do México, onde o investimento permanece fraco e o consumo privado desacelerou, by Foto: Pnud/Andrea Egan

Brasil

A forte revisão para baixo do crescimento regional reflete a nova projeção do avanço do Brasil, onde, segundo o FMI, “a confiança enfraqueceu consideravelmente, enquanto as incertezas persistem sobre a aprovação da reforma da Previdência e outras reformas estruturais”.

Para 2020, a expectativa é de que a economia brasileira avance 1,9%.

México

O FMI também citou o caso do México, onde o investimento permanece fraco e o consumo privado desacelerou, refletindo incertezas políticas, enfraquecimento da confiança e elevação dos custos de empréstimo, que podem subir ainda mais após a recente redução da nota de crédito soberano do país.

A projeção do Fundo Monetário Internacional é de crescimento de 0,9% para a economia mexicana este ano.

Argentina e Chile

O panorama indica também que a economia argentina teve retração no primeiro trimestre do ano, apesar de em um ritmo menor do que em 2018. A previsão de crescimento para 2019 foi revisada levemente para baixo na comparação com o relatório de abril, e a recuperação para 2020 deve ser mais modesta.

A projeção de crescimento do Chile também foi revisada levemente para baixo, após um desempenho pior do que o esperado no início do ano. No entanto, o FMI espera que a atividade econômica do país tenha uma retomada em 2020, ajudada por políticas monetárias acomodatícias, de redução da taxa básica de juros.

Na Venezuela a economia deve encolher cerca de 35% em 2019., by Foto: Unicef/Velasquez

Venezuela

Sobre a Venezuela, o FMI afirmou que a profunda crise humanitária e econômica no país continua a ter impacto arrasador, e que a economia deve encolher cerca de 35% em 2019.

Na atualização de julho do relatório Panorama da Economia Mundial, o FMI também revisou para baixo sua projeção para o crescimento global, que passou para 3,2% em 2019 e 3,5% em 2020.

Apesar de ser uma redução modesta de 0,1 % em ambos os anos na comparação com o relatório de abril, ela ocorre após significativas reduções anteriores.

Surpresas Negativas

De acordo com o documento, “a revisão para 2019 reflete as surpresas negativas para o crescimento nos mercados emergentes e nas economias em desenvolvimento, que ofuscam as surpresas positivas em algumas economias avançadas.”

Ainda segundo o FMI, o crescimento global deve ter uma retomada entre 2019 e 2020. No entanto, aproximadamente 70% do aumento vai depender de uma melhora no desempenho dos mercados emergentes e economias em desenvolvimento, ainda alvo de incertezas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud