ONU reforça apelo por mais apoio a milhões de refugiados palestinos
BR

25 junho 2019

Reunião na Assembleia Geral destacou déficit de US$ 211 milhões em fundos para oferta de serviços ao grupo; Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados Palestinos economizou US$ 500 milhões com redução de custos

Uma reunião do Comitê Ad hoc da Assembleia Geral sobre Contribuições Voluntárias à Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados Palestinos, Unrwa, reforçou o pedido de doações para a agência.

A presidente da Assembleia Geral, María Fernanda Espinosa, destacou aos participantes do evento que existe um déficit de US$ 211 milhões em fundos para fornecer serviços como saúde, moradia, assistência financeira e de emergência aos beneficiários.

O secretário-geral, António Guterres, com os dois estudantes palestinos da Cisjordânia e de Gaza. Foto: ONU/Manuel Elias

Refugiados

A representante destacou ainda que falta US$ 1,2 bilhão para prestar assistência a programas regulares a 5,4 milhões de refugiados palestinos.

Espinosa disse que esse apoio não é uma questão de caridade, mas se trata de responsabilidade, de defesa da dignidade humana e dos direitos humanos, além de “manter a promessa que os países fizeram através da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável de não deixar ninguém para trás”.

No encontro com diplomatas, estiveram o secretário-geral, António Guterres, o comissário geral da Unrwa, Pierre Krähenbühl, e dois estudantes palestinos da Cisjordânia e de Gaza.

O chefe das Nações Unidas pediu uma “solidariedade em ação” para impulsionar a autoconfiança das 70 milhões de pessoas forçadas a deixar suas casas pela guerra e aliviar a pressão sobre os países e comunidades anfitriãs.

Solução

Guterres disse que, durante cerca de 70 anos, a Unrwa “cumpriu fiel e efetivamente” o seu mandato de ajudar os refugiados palestinos até que uma solução justa e duradoura seja encontrada.

O chefe da ONU destacou que milhões de crianças que fazem parte do grupo se beneficiaram da educação nas escolas da Unrwa como serviços de saúde inovadores que mantêm altos padrões e são extremamente econômicos.

Guterres destacou ainda os serviços de emergência e sociais que atendem as necessidades básicas de milhões de pessoas. Somente em Gaza, 1 milhão de refugiados palestinos dependem de alimentos oferecidos pela agência.

O secretário-geral disse que medidas extraordinárias de reforma e controle de custos foram tomadas pela Unrwa para reduzir os gastos. Nos últimos cinco anos, a agência economizou US$ 500 milhões com essas decisões.

UNRWA
Secretário-geral visita escola para refugiados palestinos na Jordânia

Gastos

O comissário da Unrwa, Pierre Krahenbuhl, disse que todas as contribuições prometidas em 2018 foram alcançadas antes do final desse ano. No evento, ele agradeceu a colaboradores, governos, doadores e organizações da sociedade civil.

O representante destacou ações que são essenciais para manter em funcionamento as 708 escolas coordenadas pela agência na Cisjordânia, em Jerusalém Oriental, em Gaza, na Jordânia, no Líbano e na Síria."

Cerca de 8,5 milhões de palestinos receberam cuidados primários de saúde na rede de 144 clínicas. Esses locais oferecem serviços de emergência para 1,5 milhão de refugiados, principalmente em Gaza, na Cisjordânia e na Síria.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Enviado da ONU “profundamente preocupado” com violência em Gaza

Segundo agências de notícias, cerca de 200 foguetes foram disparados por militantes de Gaza em direção a Israel este sábado; pelo menos quatro palestinos morreram, na sexta-feira, durante ações do exército israelita.

Secretário-geral visita acampamento de refugiados palestinos na Jordânia

António Guterres esteve no acampamento Baqa'a, onde vivem quase 120 mil refugiados da Palestina; chefe da ONU destacou importância de continuar a financiar os serviços vitais que a Unrwa.